NOTÍCIAS
07/05/2015 23:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Ocupe Estelita protesta em frente à casa de prefeito do Recife

O projeto urbanístico batizado de Novo Recife, que prevê, entre outras coisas, a construção de 12 prédios na área do Cais José Estelita, foi alvo de novas manifestações nesta quinta-feira (07), na capital pernambucana.

Esta foi a terceira marcha organizada pelos integrantes do Movimento Ocupe Estelita desde que o Projeto de Lei 008/2015 foi aprovado na terça-feira (05) pela Câmara Municipal, instituindo o plano do Novo Recife.

Nesta quinta o ato se concentrou da Praça do Derby, no centro da cidade, por volta das 16h, e seguiu em caminhada até a Zona Oeste. Segundo a Polícia Militar, 800 pessoas participam do protesto. Os manifestantes contabilizam 3.000 pessoas.

O grupo parou na Rua Neto Campelo, onde mora o prefeito Geraldo Júlio (PSB) e pregou cartazes enquanto gritava palavras de ordem como "prefeito fuleiro, capacho de empreiteiro" e "Polícia Militar, segurança particular", segundo informou o G1. Parte dos militantes planejava acampar no local.

De acordo com os manifestantes, o projeto Novo Recife irá destruir uma paisagem icônica da capital pernambucana, causar um impacto ambiental de proporções desastrosas para a bacia do rio Pina, impedir a ventilação de um bairro inteiro do Recife, além de piorar exponencialmente o trânsito já travado da região.

O Consórcio Novo Recife é formado pela empreiteira Queiroz Galvão, envolvida na operação Lava Jato, Moura Dubeux, que contribuiu com R$ 550 mil na campanha do prefeito Geraldo Júlio, mais a Ara Empreendimentos e a GL Empreendimentos.