NOTÍCIAS
06/05/2015 14:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Afeganistão condena quatro homens à morte por linchamento e assassinato de jovem

Montagem / Agências de Notícias

Quatro homens foram sentenciados à morte por participarem do linchamento que matou uma jovem em Cabul, no Afeganistão.

O crime ocorreu em março, e gerou uma onda de protestos no país, chamando atenção de organizações internacionais. A vítima, identificada como Farkhunda, foi queimada, arrastada e jogada em um rio por uma multidão que a acusava - falsamente - de ter queimado um exemplar do Alcorão, livro sagrado para os muçulmanos.

Segundo informações da BBC, oito homens foram condenados a 16 anos de prisão e outros 18 foram considerados inocentes.

Para os próximos dias, também é esperado o veredito sobre 19 policiais, que foram levados a julgamento por falharem em sua função de impedir o ataque.

De acordo com veículos locais, a confusão começou depois que ela discutiu com um homem, que fez a acusação - ele está entre os que foram condenados à morte, segundo apurou a BBC. Após a discussão, uma multidão se formou ao redor da jovem, e começou o linchamento.

A família da jovem afirmou que não achou o julgamento justo, e afirmou que gostaria que todos os envolvidos fossem condenados à morte.

Poucos dias após o crime, Ativistas bloquearam as vias próximas à mesquita onde Farkhunda foi morta e percorreram o mesmo caminho feito pela multidão que linchou a jovem.

Muitas mulheres usavam máscaras com a foto do rosto da jovem coberto de sangue. O registro circulou pelas redes sociais.

O corpo de Farkhunda foi carregado por mulheres, que desafiaram a tradição de que apenas os homens podem comparecer a este tipo de cerimônia.