NOTÍCIAS
01/05/2015 15:24 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

'Quem foi torturado e enfrentou ditadura vai ter medo de panelaço?', diz ministro do Trabalho sobre Dilma Rousseff

Montagem/Estadão Conteúdo/Reprodução

Não foi por medo de panelaço que a presidente Dilma Rousseff não se pronunciou em cadeia nacional de rádio e TV neste Dia do Trabalho, afirmou nesta sexta-feira (1º) o ministro do Trabalho, Manoel Dias.

"Quem foi torturado e enfrentou ditadura vai ter medo de panelaço?", questionou Dias ao chegar ao evento da Força Sindical, em São Paulo.

Pela primeira vez, Dilma escolheu discursar na data apenas pelas redes sociais. Por meio de vídeos publicados na página do Palácio do Planalto no Facebook, a presidente falou sobre manifestações, salário mínimo eterceirização.

Dilma aproveitou o tema para alfinetar o governador do Estado do Paraná, Beto Richa (PSDB), após o Centro Cívico de Curitiba se tornar palco de violência policial contra professores na última quarta-feira (29). Ao todo, 213 manifestantes e 21 policiais ficaram feridos durante o protesto.

"O Brasil vive hoje em plena democracia, por isso temos de nos acostumar às vozes das ruas, aos pleitos dos trabalhadores. Temos de reconhecer como legítimas as reivindicações de todos os segmentos sociais da nossa população. Temos de nos acostumar a fazer isso sem violência e sem repressão. Para isso, nada melhor que o diálogo franco e transparente entre o governo e a sociedade", disse a presidente no terceiro vídeo divulgado nesta sexta-feira.

Mensagem ao trabalhador: Diálogo sem repressão é base da democria

Na terceira e última parte da mensagem feita por Dilma Rousseff em comemoração ao #DiaDoTrabalhador, a presidenta defende o respeito ao direito de manifestação dos trabalhadores. Ela destaca que somente o diálogo pode construir consensos em direção ao crescimento do país, com mais emprego e renda. Assista, compartilhe e confira aqui no Palácio do Planalto os vídeos anteriores. goo.gl/BBSuip

Posted by Palácio do Planalto on Sexta, 1 de maio de 2015

Em reunião na quinta-feira (30) com líderes de centrais sindicais, em Brasília, a presidente já havia repudiado a violência em qualquer protesto e defendeu o "respeito às manifestações" e às "diferenças de opinião". "Para construir consenso e evitar a violência, o único caminho existente é o caminho do diálogo", disse Dilma na ocasião.

Terceirização

A presidente voltou a defender a regulamentação da terceirização deve manter a diferenciação para atividades-meio e fim nos vários setores produtivos, em sua segunda mensagem pelo Dia do Trabalho.

Dilma destacou também que o Projeto de Lei (PL) 4330, em tramitação no Congresso Nacional, ajudará a proteger o emprego de 12,7 milhões de trabalhadores terceirizados que, segundo a presidenta, terão assegurados a “proteção no emprego, os direitos trabalhistas e previdenciários e garantia de um salário digno”. Dilma disse ainda que a medida significa maior segurança para o empregador.

Mensagem ao trabalhador: A terceirização e a garantia de direitos

Manter os direitos e garantias dos trabalhadores é um compromisso do governo. Nesta segunda mensagem em comemoração ao #DiaDoTrabalhador, a presidenta Dilma Rousseff fala sobre a importância de se regulamentar o trabalho terceirizado no Brasil sem afetar os avanços já conquistados. Assista a mais este vídeo, compartilhe e acompanhe o Palácio do Planalto para conferir a sequência. goo.gl/qm7ZI9

Posted by Palácio do Planalto on Sexta, 1 de maio de 2015

Salário mínimo

No primeiro vídeo divulgado hoje, Dilma destacou a valorização do salário mínimo e a correção da tabela do imposto de renda. "Nos últimos 13 anos, o Dia do Trabalhador tem sido uma data para celebrar as vitórias da classe trabalhadora. A valorização do salário mínimo é uma das maiores conquistas deste período", enfatizou ela, em vídeo publicado nas redes sociais, na manhã desta sexta-feira.

Dilma lembrou que, em março último, encaminhou ao congresso nacional medida provisória que garante a política de valorização do salário mínimo até 2019. Citou ainda que, em 2001, foi aprovada lei semelhante que garantiu ao salário mínimo aumento de 14,8% acima da inflação durante o primeiro mandato. Essa política, segundo ela, beneficia 45 milhões de trabalhadores e aposentados.

Mensagem ao trabalhador: A valorização do salário mínimo

Assista à mensagem da presidenta Dilma Rousseff em comemoração ao #DiaDoTrabalhador. Neste primeiro vídeo ela comenta os avanços obtidos pela classe, como a valorização do salário mínimo. Ao longo do dia publicaremos outros. Acompanhe no Palácio do Planalto e compartilhe. goo.gl/XtKw1z

Posted by Palácio do Planalto on Sexta, 1 de maio de 2015

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)