NOTÍCIAS
29/04/2015 09:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Após fugir de acidente, Jon Jones perde cinturão dos Meio Pesados e é suspenso pelo UFC

Jack Dempsey/AP

O UFC anunciou na noite desta terça-feira (28) que o lutador americano Jon Jones está suspenso por tempo indeterminado e não é mais o campeão dos Meio Pesados (até 93 kg) do evento. O novo dono do cinturão da categoria será definido no UFC 187, marcado para o dia 23 de maio, em Las Vegas (EUA), na luta entre os americanos Anthony Johnson e Daniel Cormier.

É a primeira vez na história do Ultimate que um campeão perde o seu título por razões disciplinares. Segundo o UFC, Jones violou o Código de Conduta dos Atletas da organização após a sua mais recente trapalhada. Ele foi preso na última segunda-feira (27) na cidade americana de Albuquerque, um dia após se envolver em um acidente de trânsito e fugir do local sem prestar socorro.

Para piorar a situação, a motorista do carro no qual o lutador bateu era uma mulher grávida, a qual Jones ignorou ao voltar momentos após o acidente ao local, apenas para pegar um montante de dólares que estavam dentro do carro do lutador. Dentro do veículo foi encontrado um cachimbo com maconha. O abuso de substâncias ou acidentes envolvendo Jones não são exatamente uma novidade para quem o acompanha.

Em janeiro deste ano, após derrotar Cormier em sua mais recente luta, o agora ex-campeão teve divulgado o seu teste positivo para cocaína em um exame antidoping, este feito em dezembro. Na ocasião, foi perdoado depois de admitir ter cometido “um deslize” e ter se internado por pouco tempo em uma clínica de reabilitação. Em 2012, ele foi preso após se envolver em outro acidente de trânsito, no qual foi acusado de estar “sob influência de substâncias”. Com esse histórico, o UFC preferiu agir.

“Como resultado da acusação e outras violações da Política do Código de Conduta do Atleta, a organização acredita que é melhor Jones dar tempo para se concentrar nessas pendências legais. O UFC sente que os atletas precisam seguir rigorosamente algumas normas dentro e fora do octógono. Enquanto há um certo desapontamento nesses encargos recentes, a organização continua apoiando o Jones enquanto ele estiver passando por esse processo legal”, diz a nota do UFC.

Em entrevista ao canal Fox Sports dos EUA, o presidente do UFC Dana White disse que Jones está “muito desapontado” com a decisão da organização. “Ele queria ser um dos maiores da história. Para nós irmos e retirar o título dele e suspendê-lo não é divertido, mas você sabe o que eles dizem: o show deve continuar”, afirmou White. No Twitter, Jones se pronunciou e disse que o momento é de “buscar respostas na alma”, além de se desculpar com quem ele magoou.

Considerado por muitos o melhor lutador de MMA dentre todos os pesos do mundo, Jones fez história no UFC ao se tornar o mais novo campeão do evento, ao vencer o brasileiro Maurício Shogun em março de 2011. Ele precisava fazer apenas mais duas defesas do cinturão para igualar o recorde de dez defesas consecutivas, que pertence ao brasileiro Anderson Silvaeste afastado do Ultimate após cair no antidoping em janeiro.

LEIA TAMBÉM

- Tratado como 'piada', Anderson Silva reafirma sonho de disputar Olimpíadas

- UFC: Brasileiro posta montagem nocauteando irlandês depois de provocações

- ASSISTA: Brasileira que vai lutar por cinturão do UFC se envolve em briga no Rio

- UFC: Anderson encara Jon Jones (mas a portas fechadas)