NOTÍCIAS
28/04/2015 20:26 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

PT contra-ataca: Marta Suplicy 'retribuiu confiança do partido com falta de ética'

Marcos de Paula/Estadão Conteúdo

O Partido dos Trabalhadores (PT) não economizou palavras ao contra-atacar Marta Suplicy após a formalização de seu pedido para deixar a sigla. Por meio de nota assinada pelos presidentes do PT nacional, estadual e municipal, o partido se disse "indignado" com a carta de desfiliação da senadora.

"Apesar dos motivos enunciados, entendemos que as razões reais da saída se devem à ambição eleitoral da senadora e a um personalismo desmedido que não pôde mais ser satisfeito dentro de nossas fileiras", diz o texto.

A nota diz ainda que Marta retribuiu "com falta de ética e acusações infundadas, a confiança que o PT lhe conferiu ao longo dos anos" e diz que a senadora "destila ódio por não ter sido indicada candidata à Prefeitura de São Paulo em 2012".

Entre os elementos apontados para a saída de Marta do PT está a impossibilidade de a senadora concorrer pelo partido à Prefeitura de São Paulo em 2016. O atual prefeito, Fernando Haddad, deve tentar a reeleição.

Especula-se que Marta deverá se filiar ao PSB para concorrer com Haddad nas próximas eleições municipais.

Em carta protocolada hoje, Marta disse que o papel "protagonista" do PT no que chamou de "um dos maiores escândalos de corrupção" é a razão principal para deixar o partido que ajudou a fundar. "Percebi que o Partido dos Trabalhadores não possui mais abertura nem espaço para o diálogo com suas bases e seus filiados", afirmou.

Eu ajudei a fundar o PT há mais de trinta anos. E me orgulho de ter lutado para melhorar a vida dos brasileiros mais...

Posted by Marta Suplicy on Terça, 28 de abril de 2015

Leia a nota do PT na íntegra:

Nota oficial

O PT recebe com indignação a carta da senadora Marta Suplicy oficializando sua desfiliação do PT.

Apesar dos motivos enunciados, entendemos que as razões reais da saída se devem à ambição eleitoral da senadora e a um personalismo desmedido que não pôde mais ser satisfeito dentro de nossas fileiras. Por isso, resolveu buscar espaços em outros partidos.

Ao contrário de suas alegações, nunca o PT cerceou suas atividades partidárias ou parlamentares. Sucessivamente prestigiada, com o apoio da militância e das direções, Marta Suplicy foi deputada federal, prefeita, senadora e duas vezes ministra.

Lamentavelmente, a senadora retribui, com falta de ética e acusações infundadas, a confiança que o PT lhe conferiu ao longo dos anos.

Ao renegar a própria história e desonrar o mandato, Marta Suplicy desrespeita a militância que sempre a apoiou e destila ódio por não ter sido indicada candidata à Prefeitura de São Paulo em 2012.

Finalmente, é triste ver que a senadora jogue fora a coerência cultivada como militante do PT e passe a se alinhar, de forma oportunista, com aqueles que sempre combateu e que sempre a atacaram.

Rui Falcão

Presidente Nacional do PT

Emidio de Souza

Presidente Estadual do PT/SP

Paulo Fiorilo

Presidente Diretório Municipal/SP

LEIA TAMBÉM

- Festa de 70 anos de Marta Suplicy tem dezenas de políticos do PSB e PMDB e quase nenhum do PT

- Marta Suplicy volta a criticar o governo de Dilma Rousseff e ironiza derrota do PT na Câmara

- Marta Suplicy escancara cisão dentro do PT e impõe duros desafios ao partido, à Dilma Rousseff e Lula até 2018

- Ex-ministra Marta Suplicy envia à CGU documentos contra Juca Ferreira alegando irregularidades no Ministério da Cultura