NOTÍCIAS
27/04/2015 15:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Imagens aéreas mostram destruição causada pelo terremoto no Nepal; número de mortos ultrapassa 4 mil (VÍDEO)

Imagens captadas por um drone mostram o rastro de destruição deixado pelo terremoto de 7.8 graus de magnitude na escala Richter que atingiu o Nepal no sábado (25).

Nas imagens, é possível ver importantes monumentos da capital do país, Katmandu, totalmente destruídos. Vários nepaleses deixaram suas casas - ou porque as construções foram destruídas ou com medo de tremores secundários.

O número de mortos já passou de 4.000, segundo o Centro Nacional de Operações de Emergência, do Ministério do Interior, mais de 7.500 pessoas ficaram feridas.

Em entrevista à Rádio ONU, o representante da Unesco no Nepal, Christian Manhart, explicou que muitas rodovias estão bloqueadas com entulho das construções destruídas pelo terremoto e a comunicação está bastante comprometida.

A Embaixada do Brasil em Katmandu organizou um centro de atendimento a brasileiros no Aeroporto de Katmandu, reaberto no domingo (26), após ficar fechado por causa dos estragos. O Ministério das Relações Exteriores já recebeu informações sobre 96 brasileiros que estavam no Nepal durante o terremoto.

Para auxiliar no atendimento, funcionários da Embaixada do Brasil em Nova Déli foram deslocados para reforçar a equipe em Katmandu.

Ajuda internacional

A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que 5 milhões de pessoas foram afetadas pela tragédia. Nas primeiras horas após o terremoto, a OMS distribuiu medicamentos suficientes para tratar 40 mil feridos. Mas a agência da ONU precisa de US$ 5 milhões para suas operações humanitárias e está aceitando contribuições financeiras de países doadores e parceiros.

Segundo a agência, tratar os feridos continua sendo a principal necessidade na capital Katmandu. Os hospitais estão lotados de pacientes e há relatos de médicos tratando pessoas nas ruas. Fornecer medicamentos, equipamentos cirúrgicos, cuidados de saúde mental, apoio psicossocial e ajudar a população a se recuperar dos traumas causados pela tragédia são as prioridades.

A OMS também está enviando ao país uma equipe de dez especialistas em saúde pública e resposta a desastres, em apoio aos trabalhos do governo nas áreas de epidemiologia, vigilância de saúde, logística e saúde mental.

Já o Programa Mundial de Alimentos (PMA) mobiliza estoques de comida na região e enviará um avião nesta terça-feira (28) com biscoitos energéticos e outros itens de ajuda. Equipes especializadas do PMA já estão em Katmandu ajudando na resposta ao desastre.

A agência da ONU para Refugiados (Acnur) enviou nesta segunda-feira 11 mil lonas de plástico e 4.000 lanternas solares para alguns distritos nepaleses a pedido das autoridades locais. Um avião de carga sairá de Dubai também com lonas e lanternas.

Segundo a Acnur, as lonas fornecerão abrigo para as vítimas do terremoto que perderam suas casas. Na falta de eletricidade, as lanternas solares poderão fornecer alguma luz em áreas afetadas pelo desastre e ajudar as famílias a carregar as baterias dos celulares.

O país tem mais de 21 mil refugiados do Butão, que vivem em acampamentos no Leste do país e cerca de 650 refugiados e requerentes de asilo na região de Katmandu, de acordo com a Acnur.

Como ajudar?

Comovidos pela tragédia no Nepal, um grupo de brasileiros decidiu criar uma página no Facebook para ajudar as vítimas do terremoto de magnitude 7,8. O objetivo é ajudar a localizar brasileiros considerados desaparecidos, divulgar campanhas de doação e trocar informações sobre a situação no país.

Veja, abaixo, uma lista de sites que recebem doações para auxiliar os nepaleses:

Live to Love

Save the Children

Care

Unicef

Ammado

Galeria de Fotos Terremoto no Nepal Veja Fotos

(Com informações das agências de notícias.)