COMPORTAMENTO
27/04/2015 11:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

5 razões para acreditar que a sua vagina é muito poderosa

iStock

Gwyneth Paltrow quer que você vaporize a sua com artemísia; as fãs de "vajacial" endossam que você trate a sua com máscaras e enzimas, mas as vaginas são verdadeiras maravilhas, que precisam de pouco para se manter em forma e saudável, fora alguns CACs (carinho, amor e cuidados) muito básicos. Como o sábio Russell Saunders escreveu no The Daily Beast, "assim como as mulheres não deveriam vaporizar suas vaginas elas também não deveriam lavá-las com Lysol". Fato.

Para celebrar a mais complexa e intrincada de todas as partes íntimas, oferecemos esta ode à vagina e algumas coisas incríveis que ela pode fazer:

1. A vagina se higieniza e se regula por si só

É normal, e pode até ser algo bom, que a vagina - tubo muscular e elástico que liga o útero e o colo do útero aos órgãos sexuais externos, ou seja, a vulva - produza alguma secreção ao longo do ciclo da mulher. "A vagina foi projetada para se manter limpa com a ajuda de secreções naturais", explica o site do Serviço Nacional de Saúde da Grã-Bretanha.

Ela também tem mais bactérias do que qualquer outro lugar do corpo (perde apenas para o intestino), a fim de manter a área lá de baixo em harmonia: as boas bactérias vaginais ajudam a manter o equilíbrio do pH dessa delicada área e até mesmo produzem uma substância que impede que outras bactérias grudem nas paredes vaginais e invadam os tecidos, afirma o NHS.

Depois, existe o fato das vaginas serem capazes de se preparar para uma relação sexual produzindo uma secreção clara e lubrificante que transforma o sexo em algo confortável e prazeroso. Em outras palavras, a vagina é quem manda.

2. Ela cresce

Tipo muito, mesmo. Durante o parto, o colo do útero - o tecido que liga o útero à vagina – abre ou dilata em 10 centímetros para que o bebê passe pelo canal de parto. O quanto a vagina consegue se expandir quando uma mulher está em trabalho de parto depende de uma série de fatores, que inclui a genética e o tamanho do seu bebê.

Mas o trabalho de parto não é o único momento em que a vagina da mulher se torna maior: ela pode crescer até 200 por cento quando a mulher está sexualmente excitada, relata a Revista Psychology Today. Como a Dra. Mary Jane Minkin, professora de obstetrícia e ginecologia clínica da Escola de Medicina da Universidade de Yale, disse: "A vagina é um órgão em expansão."

3. Ela pode ficar mais forte

A vagina cresce de forma incrível durante o parto, mas ela é capaz de se reduzir completamente depois porque possui "não só a elasticidade para se expandir, mas, também, a capacidade de encolher", explica o site “O Que Esperar Quando Você Está Esperando”. A vagina pode ser fortalecida com exercícios pélvicos no solo, chamados Kegel, que não só tornam a área ao redor da vagina e do ânus mais fortes após o trabalho de parto, mas também beneficiam as mulheres ao longo da vida, elas dando à luz ou não.

De acordo com a Clínica Mayo, fazer Kegel diariamente pode ajudar a prevenir a incontinência urinária e melhorar o controle do intestino.

Olhando de um ponto de vista mais sexy, o Everyday Health aponta que “fazer Kegel de forma consistente pode aumentar a excitação durante o sexo, melhorando os seus orgasmos, a circulação sanguínea nos órgãos genitais e aumentar o tônus vaginal e a lubrificação.” Basta apenas um pouco de dedicação diária.

4. O clitóris é o único órgão exclusivamente para o prazer

"O clitóris é parte da nossa vulva e se dedica exclusivamente ao prazer sexual," (grifo nosso, por que é demais) explica o Planned Parenthood e "fica inchado quando você está excitada."

O clitóris é altamente, extremamente sensível e possui 8.000 terminações nervosas - mais do que qualquer outro lugar do corpo, relata o Women's Health.

5. Quando se trata de orgasmos, não é preciso muito tempo

Como disse a Clínica Cleveland: "Os homens precisam de um tempo de recuperação após o orgasmo, chamado de período refratário, durante o qual eles não podem atingir o orgasmo de novo." O corpo das mulheres, por outro lado, não precisa desse tempo, e "muitas conseguem voltar à fase do orgasmo rapidamente com mais estimulação sexual, podendo até experimentar orgasmos múltiplos."

Um exemplo disso é uma mulher da Masturbate-a-thon (que aparentemente é “o que há de bom”), da Dinamarca, que relatou ter alcançado 222 orgasmos, um atrás do outro.

(Tradução: Simone Palma)

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

Como saber se uma mulher quer fazer sexo com você

Uma mulher é uma casa para um pênis?

Cada vagina é tão única quanto uma impressão digital