NOTÍCIAS
23/04/2015 19:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:54 -02

Será uma boa hora para comprar ações da Petrobras? Especialista responde

iStock/Estadão Conteúdo

Após despencarem quase 10% nesta manhã, as ações da Petrobras fecharam em alta nesta quinta-feira (23). As ordinárias (com direito a voto no conselho) subiram 5,63% e as preferenciais (mais negociadas e sem direito a voto) recuaram 1,2%, um dia depois de a estatal anunciar prejuízo de R$ 21,6 bilhões em 2014, o primeiro resultado negativo desde 1991. Desse total, R$ 6,2 bilhões se referem às perdas com corrupção deflagrada na Operação Lava Jato.

A volatilidade das ações tem assustado pequenos investidores, que não sabem ao certo se é hora de aproveitar o sobe-e-desce para vender ou comprar as ações da companhia ou esperar os desdobramentos do balanço negativo e até mesmo da Lava Jato.

O economista e consultor financeiro do site de Educação Financeira do Mercantil do Brasil, Carlos Eduardo Costa, disse ao Brasil Post que o investidor precisa, primeiramente, se fazer algumas perguntas antes de pensar em investir na estatal.

"Primeiro ponto muito importante antes de investir na Bolsa, em fundos de investimento ou em qualquer outra aplicação é saber qual é o seu objetivo: quanto dinheiro e em quanto tempo você precisa? Qual seu perfil de investir? Mais arriscado ou conservador?"

Para quem tem perfil mais conservador, isto é, aquele correntista que não gosta tanto de arriscar e não acompanha diariamente o mercado financeiro, não é indicado comprar ações da estatal se o objetivo for resgatar o dinheiro a curto prazo. "Para quem gosta de risco, é possível ter uma boa oportunidade com essas oscilações, mas é preciso acompanhar diariamente as notícias", afirma Costa.

Para quem tem objetivos de longo prazo, comprar as ações da Petrobras enquanto estiverem em baixa pode ser um bom investimento, conta o economista.

"Ações da empresa podem ser lucrativas se pensar a longo prazo, no mínimo, cinco anos. Isso porque a perspectiva da Petrobras é boa, a tendência é que as ações se valorizem com o tempo, já que a empresa tem um bom histórico de crescimento e de pagamento, boas reservas, investe em tecnologia. O mercado entende que ela vai se recuperar."

No curto prazo, no entanto, fica difícil prever sua situação. "As finanças da Petrobras não estão boas, [a estatal] teve prejuízo e se endividou muito. Daqui um ano ou dois, a empresa deve dar sinais de melhora."

Para quem tem medo de investir na companhia, o economista recomenda outras empresas brasileiras sólidas, como Ambev, Natura, Vale, BRFoods. Já para quem não quer se arriscar no mercado de ações, um bom investimento é título do Tesouro Direto.

"Além de ter um ganho muito bom, o ativo está cada vez mais fácil para o brasileiro comum, que pode optar por títulos de curto, médio e longo prazo, com rentabilidades bem atrativas. Outro investimento interessante são as letras de câmbio LCI (Letras de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito Agrícola)."