NOTÍCIAS
16/04/2015 10:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Horas após assassinato de PM, seis pessoas são mortas a tiros em possível chacina na zona sul de São Paulo

EDU SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Seis pessoas foram mortas a tiros na noite desta quarta-feira (15), em um espaço de 30 minutos, na região de Parelheiros, na zona sul de São Paulo. Os crimes aconteceram em uma área de 5 km e da mesma forma: um carro passou e um dos ocupantes fez disparos contra as vítimas. Um sétimo baleado sobreviveu e está internado.

De acordo com a Polícia Militar, três pessoas foram baleadas na rua Fonte Nova, por volta das 21h, sendo que uma morreu no local, a segunda no hospital, e a outra segue internada. Mais duas vítimas foram baleadas na altura do número 18 da rua Alice Bastide. Ambas morreram no hospital. Outras duas vítimas foram assassinadas na rua Sônia, próximo da avenida Engenheiro Marsilac.

“Veio um carro prata e veio atirando. Falou que era meu irmão e eu não acreditei. Mataram uma pessoa inocente” disse ao G1 a irmã de uma das vítimas.

Próximo aos corpos, os policiais encontraram cápsulas de armas de diferentes calibres – 12, 380 e 9 milímetros –, o que faz com que, por ora, a Polícia Civil não trate todos os casos como relacionados. Registrados no 101º Distrito Policial, os casos serão investigados pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

No bairro, a suspeita dos moradores era de que as mortes possuem sim ligação entre si e que a chacina estaria relacionada ao assassinato de um policial militar, pela manhã, na região da Estrada 15, também em Parelheiros. O cabo Leonílson Figueiredofoi morto em frente de casa, segundo a PM.

Nas redes sociais, movimentos sociais opinaram da mesma forma.

Mais uma chacina na zona sul de SP, mataram anteontem um policial, e o revide da polícia foi chacinar 6 moradores do...

Posted by Mães de Maio on Quinta, 16 de abril de 2015

A reportagem do Brasil Post tentou entrar em contato com a delegada Elisabete Sato, diretora do DHPP, mas ela não atendeu às ligações. Até o momento ninguém foi preso, tanto na morte das seis pessoas quanto pelo assassinato do PM.

De acordo com levantamento do Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da Universidade de São Paulo (USP), publicado nesta quinta-feira (16) pelo G1, Parelheiros é o quinto distrito, em um total de 93 da capital paulista, em número de homicídios, com uma taxa de 22,6 a cada 100 mil habitantes.

LEIA TAMBÉM

- Ministério Público de SP quer apurar DNA das armas no Brasil

- ASSISTA: Secretário de SP diz que adolescentes matam tanto quanto adultos

- A saga da impunidade da violência policial no Brasil

- Após matar quase 1.000 em 2014, PM de SP mantém alto grau de letalidade em 2015