NOTÍCIAS
14/04/2015 21:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Estudo sugere que genética é mais importante que criação no gosto dos filhos por estudo

Reprodução

Você é do tipo que morre de preguiça dos estudos - e não perde uma chance de matar aula? Então pode avisar seus pais: a culpa é toda deles. Ou melhor, dos genes que você herdou deles.

Pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio entrevistaram 13 mil gêmeos (idênticos ou não), com idades entre 9 e 16 anos, de seis países diferentes (Inglaterra, Canadá, Japão, Alemanha, Rússia e Estados Unidos).

Todos eles preencheram questionários para contar o quanto gostavam de fazer algumas tarefas, como ler, escrever, soletrar, etc.

A ideia era descobrir qual fator influenciava mais: a genética ou o ambiente de criação. Por isso, os pesquisadores compararam as respostas dos gêmeos.

E os irmãos idênticos, que compartilham todos os genes, tinham respostas mais parecidas (dividiam o mesmo amor ou ódio pelos estudos) do que os pares de gêmeos fraternos, que compartilham apenas cerca de 50% dos genes.

Segundo a pesquisa, isso prova que o ambiente de criação tem pouca influencia na sua paixão pela escola – e o que impera mesmo são os genes.

“Nós descobrimos que as diferenças na personalidade herdada pelas pessoas têm um impacto maior na motivação com os estudos. Isso não significa que a gente não tente encorajar e inspirar alunos, mas temos que lidar com essa realidade”, diz Stephen Petrill, um dos autores da pesquisa.

A culpa nunca, jamais foi sua. Pode respirar aliviado.

LEIA MAIS

- 9 motivos para (ainda) estudar na USP (GIFs)

- Amamentação mais longa está associada a níveis mais altos de QI entre bebês

- As crianças podem estar perdendo a habilidade para ler emoções por causa da tecnologia