NOTÍCIAS
13/04/2015 15:45 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Governo australiano vai suspender subsídios de famílias que se negarem a vacinar crianças; medida entra em vigor no ano que vem

iStock

O governo australiano anunciou que vai retirar subsídios de pais que se recusarem a vacinar os filhos. A medida ainda deve ser votada pelo parlamento e, segundo a Euronews, deve entrar em vigor no ano que vem.

A decisão surge em meio a um intenso debate sobre a possível ligação entre os mecanismos de imunização e o autismo. Diante da polêmica, alguns pais tem decidido não vacinar seus filhos.

Segundo a lei atual, pais que não vacinarem as crianças por "objeção de consciência" podem receber subsídios governamentais. De acordo com a nova lei, segundo Tony Abbott, famílias que não vacinarem as crianças podem deixar de ganhar até 15 mil dólares australianos (R$ 35.300) em subsídios.

A regra não se aplica para aqueles que não vacinarem as crianças por motivos médicos ou religiosos.

"A escolha de famílias em não imunizarem seus filhos não tem o apoio de políticas públicas ou pesquisas médicas e tal atitude não será apoiada pelos contribuintes em forma de subsídios às crianças", afirmou o premiê.

De acordo com a CNN, o governo estima que 39 mil crianças de até sete anos de idade não tenham sido vacinadas por causa de objeções de consciência de seus pais. Entre as crianças entre um e cinco anos de idade, a taxa de vacinação no país é de 90%.