NOTÍCIAS
12/04/2015 12:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

'Fora PT': manifestação reúne 20 mil em Brasília; no RJ, opositor gera princípio de tumulto

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO

Antes que as pessoas começassem a se reunir na manifestação contra o governo neste domingo, 12, dois enormes guindastes posicionados em frente ao Congresso Nacional exibiam uma faixa: "Limpa Brasil". O começo foi morno, mas às 11h30 a Polícia Militar estimou 20 mil manifestantes presentes por lá. Ainda assim, o número é menos da metade do que foi registrado no dia 15 de março no mesmo horário.

"Achamos que a manifestação está muito maior e que a Dilma já entregou o País. Ela está morrendo de medo do impeachment", disse o coordenador do movimento Tô na Rua, Antônio Morais, ao Brasil Post.

Segundo o movimento Vem pra rua, 450 cidades confirmaram presença. no dia 15 de março, foram 241:

Alguma dúvida de que vai ser MAIOR?452 CIDADES CONFIRMADASAcre (AC)Capixaba - 14h00 - Palácio Rio Branco Cruzeiro...

Posted by Vem Pra Rua Brasil on Saturday, April 11, 2015

No Rio de Janeiro, o protesto estava marcado para 12h, mas antes disso manifestantes já haviam ocupado Copacabana, mesmo local da manifestanção anterior. Hino Nacional e gritos pela educação e contra a violência se intercalavam com manifestações contra a corrupção e pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Um homem começou a provocar a multidão com um alto falante e foi cercado pelos protestantes, que gritavam "Fora PT". Houve um princípio de tumulto - o homem acabou cercado e isolado pela polícia.

De cima de um carro de som, o humorista Marcelo Madureira chamou o PT de "câncer do Brasil":

O Brasil está tomado por um câncer, e esse câncer se chama PT. A Dilma foi colocada lá pelo chefe da quadrilha. Se ela tivesse o mínimo de decência, renunciava. Mas não fazer isso, então temos que tirar ela de lá. Fora PT, fora Dilma e o Lula na cadeia.

Em Belo Horizonte, pela manhã, a PM estimou 25 mil manifestantes. Manaus, Belém, Salvador e Campinas (SP) também têm protestos.

Em São Paulo o ato está marcado para as 14 horas. A polícia já fez um cordão de isolamento no vão no Masp, na Avenida Paulista. Manifestantes já fecham a avenida. Grupos pró-militares já confirmaram presença, mas a maioria dos manifestantes - e também a organização - rechaça os pedidos de intervenção militar.

"Não sou a favor, eles são muito radicais, tudo que é radical não presta",diz Fernando Zanetti, 37, farmacêutico, presente na manifestacão em Brasília. "É um absurdo a quantidade de dinheiro que está sendo usada pelos corruptos. O caso da Petrobrás é só um."