NOTÍCIAS
10/04/2015 19:39 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:47 -02

Estado Islâmico está recrutando assessores de imprensa, cozinheiros, médicos e professores

Reuters

Um grupo jihadista britânico do Estado Islâmico na Síria divulgou uma lista de "postos de trabalho" para os adeptos à causa, mas que não querem lutar.

De acordo com o jornal britânico The Independent, um homem chamado Abu Sa'eed Al-Britani insistiu que aversão à batalha é um "sinal de fé fraca", mas disse que há vagas para assessores de imprensa, personal trainers, preparadores de bombas, cozinheiros, mecânicos, professores, entre outros.

A lista, que conta com 10 vagas, são para voluntários que queiram doutrinar crianças em território ocupado pelo Estado Islâmico, cuidar de combatentes feridos, prepará-los fisicamente, cozinhar para eles e ajudar na fabricação de bombas.

Já os assessores de imprensa trabalharia no "media center" do EI, divulgando vídeos e notas que mostram assassinatos cruéis de reféns ou propaganda para recrutar mais pessoas.

"Imagine a recompensa em ver um carro cheio de explosivos com um irmão detonar nas linhas inimigas. Você teria a mesma recompensa que ele, mandando 50 infiéis para o inferno", escreveu Al-Britani, ressaltando as "qualidades" de se juntar ao EI. "Imagine a recompensa ensinar uma criança à presença de Alá e da jihad."