Estas pinturas hiperrealistas são tão detalhadas que dá até para sentir o gosto do mel

Sabemos que nossos leitores amam pinturas hiperrealistas – aqueles retratos da vida cotidiana mais reais que a realidade, capturados num nível de detalhe que excede a visão normal. Em nossa humilde opinião, essa forma de arte fica divina quando acentuada com materiais convencionais que possuem texturas mais anômalas do que você esperaria.

Amostra A: mel. O ingrediente mais conhecido por combinar com uma xícara de chá quente é uma maravilha sensual. Viscoso, dourado, brilhante, escorrendo de forma lenta mas elegante. Ninguém sabe disso melhor que o pintor Mike Dargas – bem, talvez também o fotógrafo Blake Little.

O pintor baseado em Colônia, na Alemanha, começou sua série sobre mel em 2014, depois de experimentar vários tipos de líquidos. A consistência peculiar do mel chamou a atenção de Dargas. “A transparência e os reflexos são perfeitos para meus trabalhos realistas”, explicou ele ao The Huffington Post.

Assim nasceu uma série de retratos hiperrealistas. Dargas desenha rostos femininos diligentemente detalhistas. Cada poro, cada reflexo do mel escorrido, cada sobrancelha fora do lugar. Você nunca chegou perto de um rosto cheio de mel como os imaginados por Dargas – sem julgamentos, a gente também nunca chegou. “É um processo muito pessoal, e quero que os espectadores vejam essa emoção.”

Veja abaixo alguns dos incríveis trabalhos do artista, além de imagens dele trabalhando.

The Ecstasy of Gold (o êxtase do ouro)
The Ecstasy of Gold (o êxtase do ouro)
Judas Kiss (beijo de Judas)
Judas Kiss (beijo de Judas)
Black Gold (ouro negro)
Black Gold (ouro negro)
Holier than thou (santinha)
Holier than thou (santinha)
Holier than thou (santinha)
Hit the Lights (na luz)
Hit the Lights (na luz)
Hit the Lights (na luz)
Sweet Amber (doce âmbar)
Sweet Amber (doce âmbar)
Sweet Amber (doce âmbar)
Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.