NOTÍCIAS
07/04/2015 21:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

PT e PSDB debatem na Câmara quem é mais corrupto

Montagem/Agência Câmara

Um embate fervoroso dominou a sessão deliberativa extraordinária da noite desta terça-feira (7) na Câmara dos Deputados. Líder do PSDB, Carlos Sampaio subiu na tribuna para questionar a gestão da presidente Dilma Rousseff no comando do Conselho de Administração da Petrobras.

O discurso, entretanto, teve como alvo o Partido dos Trabalhadores. O tucano insistiu em chamar o partido de corrupto. Os petistas e aliados da presidente reagiram e também subiram na tribuna para apontar casos de corrupção que envolvem os tucanos.

Para Sampaio, a presidente dizer que a luta para recuperar a Petrobras é dela foi uma “piada”. "Nesses 12 anos em que a presidente esteve vinculada umbilicalmente à Petrobras, não viu nada, não soube de nada! Quem não viu nada, não soube de nada, mas indicou diretores, como o PT indicou, para assaltar a Petrobras, evidentemente, não tem capacidade de reconstruí-la”, argumentou.

Questionado pelo deputado Paulão (PT-AL) sobre o mensalão tucano, o líder do PSDB rebateu e disse que não tem nenhum preso.

“Do mensalão de São Paulo e do mensalão de Minas a que alguns se referem não há ninguém preso. Do PT, foram presos o ministro, o seu presidente da Câmara, o seu tesoureiro, o presidente do seu partido. Portanto, eu entendo a sua indignação. Infelizmente, eu entendo a indignação. Quando a pessoa integra um partido que o Brasil sabe que é corrupto, tem que se indignar. E o seu partido é corrupto."

O deputado disse ainda que podia falar porque reproduzia o pensamento da população brasileira. "A nação sabe que o seu partido é corrupto e, quanto mais o deputado falar, mais vai ouvir em alto e bom som: partido corrupto, partido corrupto!”

O líder do PT, Sibá Machado (MT), rebateu as críticas. Ressaltou que o PSDB está envolvido em casos de corrupção, como o mensalão tucano; o caso Alstom, de corrupção no metrô de São Paulo, e a denúncia de que tucanos teriam pago pela aprovação da emenda que permitiu a reeleição de Fernando Henrique Cardoso.

Para o petista, o tucano diz que não tem processos porque "o dirigente nacional do Ministério Público Federal da época, o Brindeiro, era dito todos os dias que era o engavetador oficial dos tucanos”.

"Vou pedir ao líder do PSDB: da próxima vez, lave a boca antes de vir ao microfone. Lave a boca, porque, neste debate, nós não chegaremos a lugar nenhum.”

Aliado da presidente Dilma Rousseff, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) fez um desafio aos colegas da oposição. Ele quer saber o que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso fez que foi melhor que o ex-presidente Lula ou a presidente Dilma.