NOTÍCIAS
06/04/2015 19:30 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02

Condenado no mensalão lança livro de poesia sobre período em que viveu na prisão

Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Condenado a 6 anos e 4 meses de prisão nomensalão por crimes de corrupção passiva e peculato, o ex-deputado do PT de São Paulo João Paulo Cunha lança nesta terça-feira (7) um livro de poesia. Quatro & Outras Lembranças, da editora Topbooks, retrata o período de um ano que o ex-presidente da Câmara dos Deputados ficou preso na Papuda, em Brasília.

Na obra, o ex-parlamentar, que cumpre regime aberto, não cita nomes nem acusa ninguém. "Ele reflete sobre seus erros e as injustiças que acredita ter sofrido, e faz uma espécie de “memórias do cárcere” em forma de poemas muito bem elaborados", diz a editora Topbooks.

O nome do livro é uma referência ao dia em que Cunha foi preso, 4 de fevereiro. Em entrevista à jornalista Tereza Cruvinel, Cunha disse que a poesia foi uma forma de expressar seus próprios pensamentos.

"Na angústia de não ter como expressá-los, a única possibilidade é escrever. E no meu caso, comecei escrevendo resenhas dos livros que lia e passei depois a escrever poesias, parte delas reunidas neste livro."

Quanto ao mensalão, ele disse que o julgamento não terminará nunca. " É uma marca que todos nós vamos carregar a vida inteira, uma marca indelével", alegou.

Segundo ele, o cenário político do momento é preocupante. "As pessoas perderam o pudor de defender a ditadura, a xenofobia, a homofobia, preconceitos diversos… Tudo isso está se banalizando. Estamos involuindo enquanto civilização", argumentou.