NOTÍCIAS
01/04/2015 21:57 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

Greenpeace faz projeção gigante para expor mentiras da crise hídrica no 1º de abril

Greenpeace

Quem passou pela esquina da Rua da Consolação com a Avenida Paulista em São Paulo na noite desta quarta-feira, 1º de abril, não pode deixar de reparar em uma intervenção realizada pelo Greenpeace.

A ONG fez uma mega projeção na parede do edifício Anchieta, onde aparecia uma célebre frase de Geraldo Alckmin, governador do estado: "Não falta água em São Paulo, não vai faltar água em São Paulo”.

Ativistas do Greenpeace protestam contra as mentiras contadas pelo Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Ativistas...

Posted by Greenpeace Brasil on Quarta, 1 de abril de 2015

Além dessa afirmação, que combina bem com dia da mentira, foram divulgados dados sobre a atual situação da crise, como o atual índice do sistema Cantareira, que está em 14,8%, e divulgou a campanha para acabar com descontos para grandes consumidores de água.

Segundo o site do Greenpeace, a ação destacou a responsabilidade do governador Geraldo Alckmin na crise e fortaleceu a atual campanha exigindo que a Sabesp e o Governo do Estado quebrem os contratos de desconto que beneficiam 537 instituições, as quais consomem cerca de 2,25 bilhões de litros de água por mês, o suficiente para atender cerca de 400 mil pessoas.

“Infelizmente a gestão da crise da água em São Paulo vem sendo marcada por graves mentiras e injustiças”, comenta Pedro Telles, porta-voz da campanha de Clima e Energia do Greenpeace. “Enquanto a Sabesp e o Governo do Estado cogitam aumentar novamente o preço da água para a população, é inaceitável que grandes empresas continuem recebendo descontos para consumir mais”.

LEIA MAIS:

- 'É mais fácil economizar energia quando sabemos quanto estamos usando'

- Sabesp teve lucro 53% menor. E você, consumidor, vai pagar o pato

- ESTUDO: Ao custo de R$ 8 bi, Brasil desperdiça seis Cantareiras por ano