NOTÍCIAS
29/03/2015 17:34 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02

De olho em cinturão do UFC, brasileira Bethe Correia se envolve em briga com taxista no Rio (VÍDEO)

A lutadora brasileira Bethe Correia foi manchete nas últimas semanas por duas razões: a primeira foi a chance que ganhou de buscar o cinturão contra a americana Ronda Rousey, no dia 1º de agosto, no UFC 190, que acontece no Rio de Janeiro. A segunda foi menos nobre: ela se envolveu em uma briga com um taxista e acabou sofrendo ameaças de morte.

De acordo com o jornal Extra, a confusão envolveu a irmã de Bethe, Suzana Pereira Neves Correia, e o seu treinador e namorado, Edelson dos Santos Silva - que já trabalhou com Anderson Silva. O incidente teria sido registrado em frente a um hotel, há uma semana, na zona oeste do Rio. O taxista, Cleonardo de Freitas Alves, foi chamado para buscar o trio, que desistiu da viagem.

O que veio a seguir tem duas versões. De acordo com o taxista, eles se recusaram a pagar a bandeirada de R$ 5,85. Cleonardo então desceu do carro e teve início a briga. Já Bethe Correia afirmou que ela, a irmã e o namorado foram ameaçados pelo taxista. “Propusemos pagar um valor superior ao do taxímetro, mas as agressões não pararam”, disse a lutadora.

Ao site MMA Fighting, a brasileira comentou ainda que o taxista teria ameaçado pegar uma arma no porta-luvas e que o namorado dela estava apenas protegendo a todos eles. Como se não pudesse piorar, Bethe ainda foi alvo de ameaças de morte nas redes sociais.

Postagem agressiva foi postada na página da lutadora (Reprodução/MMA Fighting)

“Recebi muitas ameaças, mas deletei tudo porque não quero dar atenção a isso. Essa ameaça com a arma é nojenta. Ele quer me atacar porque estou no melhor momento da minha carreira. Infelizmente, é o preço que pagamos pela fama. Não sei o que mais ele quer de mim. Tenho 30 anos e nunca briguei na rua”, completou Bethe.

O taxista fez um boletim de ocorrência contra o trio, que apareceu agredindo-o. “Fiquei com a gengiva roxa, com um corte na cabeça. Não vou deixar isso cair no esquecimento. Se não fizer nada, eles vão acabar fazendo outras vítimas”, afirmou Cleonardo ao jornal. A primeira audiência do caso já tem data para acontecer: 9 de junho, cerca de dois meses antes da luta de Bethe contra Ronda Rousey.

LEIA TAMBÉM

- Pego em dois antidopings, Anderson Silva mantém o silêncio, não comparece à audiência e é suspenso nos EUA

- Desejada por chefão do UFC, superluta com Georges St-Pierre é sugerida pelo filho de Anderson Silva nas redes sociais

- O retorno de Anderson Silva

- Anderson volta ao UFC renovado e, segundo diz, mais humilde

- UFC: Anderson encara Jon Jones (mas a portas fechadas)