NOTÍCIAS
19/03/2015 22:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

Câmara acusa Cid Gomes de ferir a imagem da Casa e entra na Justiça contra o ex-ministro

Montagem/Agência Câmara/Estadão Conteúdo

A Câmara dos Deputados ajuizou uma ação por danos morais e entrou com uma representação na Procuradoria-Geral da República contra o ex-ministro da Educação,Cid Gomes.

A ação, assinada pelo procurador da Casa, Cláudio Cajado (DEM-BA), acusa do ex-ministro de ter ferido a imagem da Câmara e pede que ele pague uma multa, sem estipular o valor. O deputado recomenda ainda que a indenização seja endereçada ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Na PGR, o Câmara alega que o ex-ministro cometeu crime de responsabilidade, por ter abandonado a comissão, condescendência criminosa, pela declaração de achacadores, e improbidade administrativa, por ter ferido os princípios da administração pública.

Em visita à Universidade do Pará, no fim de fevereiro, o ex-ministro se referiu aos deputados como achacadores. Disse que há na Câmara "uns 400 deputados, 300 deputados que quanto pior melhor para eles. Eles querem é que o governo esteja frágil porque é a forma de eles achacarem mais, tomarem mais, tirarem mais dele, aprovarem as emendas impositivas".

Na quarta-feira (18), Cid foi à Câmara dar explicações e reafirmou tudo que havia dito, além de alfinetar os peemedebistas e dizer que quem é da base tem que votar com o governo e "largar o osso". Após o bate-boca, ele pediu demissão.