NOTÍCIAS
19/03/2015 21:18 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:35 -02

6 provas de que o cigarro afeta o seu sono (e você não percebe)

getty images

É verdade que as notícias recentes de que o número de fumantes nos Estados Unidos atingiu baixas históricas são música para nossos ouvidos. Mas nossos problemas de saúde relacionados ao cigarro ainda persistem.

Cientistas associam o cigarro especificamente ao desenvolvimento de câncer, doença cardíaca, infecções rotineiras , ansiedade e depressão

Os químicos tóxicos e metais pesados consumidos por meio do cigarro são culpados por esses terríveis riscos de saúde, mas a nicotina – substância que torna o cigarro tão viciante – provoca rupturas em um aspecto completamente diferente da saúde: o sono. Fumar regularmente pode atrapalhar a rotina natural de sono, e certos danos são permanentes.

Eis seis motivos pelos quais o cigarro destroi a qualidade do seu sono

Fumar muda seu ritmo circadiano.

Um estudo de 2013 do Centro Médico da Universidade de Rochester descobriu que fumar tabaco pode mudar a expressão de genes de relógio tanto no pulmão como no cérebro, portanto arruinando as chances de uma boa noite de descanso. Após expor camundongos à fumaça de cigarros tanto de maneira crônica como aguda, os pesquisadores perceberam uma ruptura significativa nos relógios circadianos naturais das cobaias, o que só piorou com o aumento da exposição ao tabaco. As consequências dessa ruptura dos ritmos circadianos foram além de sono de má qualidade – elas incluíam riscos de depressão, ansiedade e vários transtornos de humor.

Fumar aumenta o risco de desenvolver apneia do sono.

Segundo um estudo de 2011, quem fuma tem 2,5 mais chances de sofrer de apneia do sono obstrutiva , o tipo mais comum de apneia do sono, causada pelo colapso dos músculos na parte posterior da garganta durante o sono. Fumantes têm essa interrupção da respiração com mais frequência porque a fumaça que inalam irrita os tecidos do nariz e da garganta, causando inchaço que atrapalha ainda mais o fluxo de ar.

Fumantes acordam durante a noite com mais frequência.

Em 2008, pesquisadores da Universidade Johns Hopkins estudaram os padrões de sono de 40 fumantes e 40 não-fumantes. Entre os não-fumantes, 5% relataram sofrer com sono intranquilo . Entre os fumantes, o índice foi de 22,5%. Usando um eletroencefalograma para monitorar o sono dos participantes em casa, os pesquisadores descobriram que o grupo de fumantes tinha sono mais leve que os não-fumantes. O sono dos não-fumantes também era mais restaurador e profundo.

Fumantes têm dificuldade para pegar no sono e se sentem inquietos nas manhãs.

Como a cafeína, a nicotina é uma droga e um estimulante, ou seja, pode afetar substancialmente a qualidade do sono se consumida em grandes quantidades perto da hora de dormir. Segundo estudo de 2013 da Universidade da Flórida, perde-se 1,2 minuto de sono para cada cigarro fumado, graças ao estímulo e a abstinência causados pela nicotina, afirma a Men’s Health. Quem fuma duas horas antes de ir para a cama tem dificuldades para pegar no sono porque a nicotina atrapalha o ciclo natural do sono. E a abstinência se manifesta antes do toque do despertador, deixando os fumantes agitados e inquietos nas manhãs.

Fumantes têm maior probabilidade de sofrer de insônia.

Segundo a Fundação Nacional do Sono (http://sleepfoundation.org/insomnia/content/what-causes-insomnia), a insônia pode ser causada por uma série de problemas psiquiátricos e médicos, assim como estilos de vida. Como a nicotina é um estimulante potente (http://www.arthritistoday.org/news/smoking-sleep-problems.php), fumantes podem desenvolver insônia com facilidade se fumarem frequentemente e perto da hora de dormir. Um estudo descobriu que mulheres no fim da meia idade (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3474868/) são ainda mais suscetíveis à insônia.

Quando você começa a fumar, seu sono nunca mais será o mesmo.

Parar de fumar vai ser uma enorme ajuda no que diz respeito à qualidade do seu sono. Mas saiba que as pessoas que nunca fumaram têm o melhor sono. Sim, dá para melhorar depois de largar o cigarro, mas, por muitas razões, o melhor é nunca fumar.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

Os fumantes têm mais chances de sofrer de ansiedade e depressão (PESQUISA)

Cerca de 87% dos fumantes brasileiros se arrependem de ter começado a fumar

Cigarros eletrônicos: a nicotina líquida é segura?