NOTÍCIAS
18/03/2015 22:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

Ubisoft cria game para combater "doença do olho preguiçoso"

Você já ouviu falar da ambliopia? Conhecida também como “doença do olho preguiçoso” ou “do olho vago”, é uma condição em que o alinhamento entre os dois olhos é prejudicado. As pessoas que sofrem dessa condição têm dificuldades, entre outros, na percepção de profundidade de campo e localização espacial. Em parceria com o laboratório especializado Amblyotech, a desenvolvedora de games Ubisoft (Assassin’s Creed, Far Cry, Watch Dogs, entre outros) está criando um jogo para combater essa condição.

Na maioria das vezes, técnicas simples como o tapa-olho podem ajudar bastante pessoas com ambliopia. Mas, o desconforto e o estigma social contra quem usa o acessório, dificulta a eficiência do tratamento. Com o jogo Dig Rush, a Ubisoft pretende engajar os pacientes no tratamento, aliando o estímulo conjunto aos dois olhos com diversão e entretenimento.

O game funciona assim: em uma espécie de quebra-cabeças, você comanda um grupo de mineradores que buscam tesouros em uma mina perigosa. O cenário 2D é em preto e branco e apenas as personagens e ameaças são coloridas. Com um par de óculos 3D anaglifo (aquele que tem uma das lentes azul e a outra vermelha), os jogadores só conseguem ver os heróis com um dos olhos e os perigos com o outro. Assim, é preciso usar os dois olhos simultaneamente para avançar nas missões.

A técnica aplicada no Dig Rush foi desenvolvida pelos pesquisadores Robert Hess, Benjamin Thompson, Behzad Mansouri, Jeremy Cooperstock, Long To e Jeff Blum da Universidade de McGrill, no Canadá e, posteriormente, aprimorada na Amblyotech. Segundo as pesquisas iniciais do grupo, 90% dos jogadores sentiram alguma melhora na condição em apenas 4 a 6 semanas depois de jogar uma hora por dia. Estima-se que, hoje em dia, cerca de 3% das crianças estejam nessa condição oftalmológica no mundo.

Atualmente, o projeto está em fase de viabilização legal. A proposta não é comercializar o jogo, mas torná-lo disponível globalmente e apenas com indicação e acompanhamento médico.

LEIA MAIS

- Juca Ferreira: 'Quero mostrar que games são uma economia possível para o Brasil'

- 8 maneiras de tornar os games mais igualitários para as mulheres

- Autógrafo, que nada: encare a sua banda predileta nos games