NOTÍCIAS
18/03/2015 12:33 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

CVM multa em R$ 300 mil o empresário Eike Batista em caso sobre venda da MPX

Montagem Getty Images/Divulgação

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) decidiu em julgamento nesta quarta-feira (18) aplicar multa de R$ 300 mil ao empresário Eike Batista em processo envolvendo a divulgação de informações sobre a venda do controle da empresa de energia MPX (atual Eneva) para o grupo alemão E.ON.

O valor da multa, no entanto, está longe de ser algo absurdo para o empresário. Apesar de deixar a seleta elite de bilionários há um tempo, Eike ainda tem bens com valores muito mais altos.

O polêmico Porsche Cayenne branco, versão 2014, que foi dirigido pelo juiz afastado da 3ª Vara Federal Criminal fluminense, Flávio Roberto de Souza, custa cerca de R$ 700 mil, de acordo com a tabela Fipe. Uma versão nova do utilitário esportivo, feito apenas sob encomenda, vale R$ 969 mil.

Esta é a primeira de cinco ações julgadas pela CVM . O empresário é acusado por falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e crimes contra o mercado financeiro, como manipulação de mercado e "inside trading" (negociação com informação privilegiada). Ele pode recorrer da decisão da CVM.

No início de fevereiro, os bens do ex-bilionário, que incluem seis carros, iates, piano e jet-skis, foram apreendidos pela Polícia Federal e, no mesmo mês, o juiz Flávio foi flagrado dirigindo um deles, o Porsche Cayenne. O juiz foi afastado do caso e, recentemente, confessou ter desviado milhões dos cofres do TRF.

(Com informações da agência Reuters)

LEIA TAMBÉM:

- Para Forbes, trajetória do ex-bilionário Eike Batista representa frustração internacional com o Brasil