NOTÍCIAS
17/03/2015 12:17 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:13 -02

Manifestante que foi às ruas no domingo ganha bem, tem perfil de centro-direita, votou em Aécio e aprova impeachment de Dilma (PESQUISAS)

Montagem/Estadão Conteúdo

Conhecida no discurso popular e entre alguns especialistas, a polarização no Brasil entre os que ainda apoiam e os que querem a saída da presidente Dilma Rousseff (PT) parece ainda mais clara pelos números, com base em duas pesquisas publicadas nesta terça-feira (17). A maioria dos que foram às ruas no último domingo (15) ganha bem, tem ensino superior, é apartidária, protestou contra a corrupção e votou em massa em Aécio Neves (PSDB) em 2014.

De acordo com os dados apurados pelo Instituto Datafolha, e publicados no jornal Folha de S. Paulo desta terça-feira, 82% dos 210 mil que protestaram na Avenida Paulista (dado este do instituto, enquanto a Polícia Militar estimou em 1 milhão) votaram no tucano. Além disso, 96% consideram o governo Dilma ruim ou péssimo, e 90% acham que a presidente sabia e deixou ocorrer a corrupção na Petrobras.

Além disso, quase quatro em cada cinco manifestantes possuem nível superior, número semelhante ao daqueles que foram a um protesto pela primeira vez. Quanto à renda, 27% ganham entre cinco e dez salários mínimos (entre R$ 3.900 e R$ 7.800), enquanto 41% possuem renda acima de R$ 7.800. Razões essas pessoas irem para rua? Quarenta e sete em cada cem entrevistados disseram que lá estavam contra a corrupção, enquanto 27% pedia o impeachment de Dilma e outros 20% protestavam contra o PT.

"Nossa bandeira nunca será vermelha!", cantaram socialites durante o ato de domingo, segundo relatos da coluna da jornalista Mônica Bergamo, também da Folha.

Centro-direita também no Paraná

Estado com um eleitorado politicamente semelhante ao de São Paulo – ambos são governados pelo PSDB e possuem alta rejeição ao PT –, o Paraná reuniu cerca de 80 mil pessoas apenas em Curitiba, segundo a Polícia Militar. Assim como em SP, lá uma grande maioria dos que foram às ruas no domingo votou em Aécio (77%), segundo dados do Instituto Paraná Pesquisas, publicados na edição desta terça-feira do jornal Gazeta do Povo.

Um total de 85% dos eleitores que protestava quer o impeachment de Dilma, majoritariamente pelo fato de que o PT não tem mais condições de governar (27%), pela presidente ser responsável pela crise economia (26%) e por ter ocorrido corrupção no governo dela (25%). Essas pessoas, mais de 60% delas com ensino superior, quase todas sem filiação a um partido (96%), tinham o seu foco em se manifestar contra Dilma (80%), enquanto outros 10,5% protestavam contra a corrupção e 1% contra o PT.

Apesar da diferença de motivação entre os que se manifestavam nos dois Estados no domingo, um outro dado comum é a alta rejeição em ambos os grupos para uma intervenção militar. Em Curitiba, 15% defendiam a volta da ditadura militar ao Brasil, enquanto em SP esse número chegava a 10%.

LEIA TAMBÉM

- Após protestos, Dilma se reúne com Lula e convoca uma série de reuniões de emergência

- Dilma Rousseff volta a ser alvo de 'panelaço' durante exibição do Jornal Nacional

- Eduardo Cunha diz que vai arquivar pedidos de impeachment contra Dilma Rousseff

- Humorista britânico John Oliver tira sarro de presidente Dilma e escândalo da Petrobras (VÍDEO)

- Líder do Psol, Luciana Genro critica Globo e PT, defende mudanças e pede por modelo progressista