NOTÍCIAS
15/03/2015 21:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

População reage com panelaço à resposta de ministros sobre os protestos

Orlando kissner/ Fotos Públicas

Enquanto os ministros da Secretaria-Geral, Miguel Rossetto, e da Justiça, José Eduardo Cardozo, respondiam em rede nacional aos protestos contra a presidente Dilma Rousseff, o governo federal foi novamente alvo de um panelaço. Os moradores de cidades como Brasília, Curitiba e São Paulo saíram nas janelas com panelas, apitos e vuvuzelas.

O ato foi semelhante ao do domingo passado, que ocorreu quando a presidente Dilma Rousseff fez o pronunciamento em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

Em entrevista coletiva, os ministros disseram que o governo anunciará em breve um pacote de medidas de combate à corrupção. Os projetos fazem parte da promessa de campanha da presidente Dilma Rousseff.

Para Cardozo, a proposta atende à demanda em comum das manifestações, o "desejo de todos os brasileiros de combate firme à corrupção e à impunidade".

O panelaço foi a segunda etapa dos protestos do dia. Ao longo do domingo, cerca de um milhão de pessoas, de acordo com a Folha de S.Paulo, estiveram nas ruas de todo País. Os protestos, majoritariamente pacíficos, tinham entre as pautas queixas contra corrupção, a situação econômica e o ajuste fiscal. O ato contra a presidente também trazia bandeiras que pediam intervenção militar e o impeachment da petista.

Nas redes sociais, políticos e o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa também criticaram o discurso dos ministros.

A ex-ministra da Secretaria de Direitos Humanos, deputada Maria do Rosário (PT-RS), entretanto, endossou o coro dos governistas.