NOTÍCIAS
13/03/2015 15:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

#HowManyMore: Ativistas vão levar cinco dias para ler nomes das vítimas da guerra na Síria

Reprodução / Twitter

Há quase quatro anos começava a guerra civil na Síria. Um conflito que, segundo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), já matou 210 mil pessoas e fez com que metade da população do país fosse deslocada.

Quando tempo você leva para dizer 210 mil? Alguns segundos apenas.

Um pequeno grupo de ativistas sírios, no entanto, resolveu fazer mais. Eles pretendem, ao longo dos próximos 40 dias, tuitar o nome de 100 mil vítimas do conflito. Além disso, alguns membros do grupo estão lendo os nomes de cerca de 85 mil vítimas fatais do conflito em frente à Casa Branca, sede do governo americano.

O processo, que começou na quarta-feira (11) com a leitura de mil nomes de vítimas o Estado Islâmico na Síria, vai durar cinco dias, de acordo com Lina Sergie Attar, uma das ativistas responsáveis pela manifestação.

“Você dá a cada nome o seu próprio espaço e o seu próprio tempo”, disse Attar ao Middle East Eye.

Os nomes serão lidos por voluntários, que se revezam na função. Após terminar de ler a lista, os ativistas são estimulados a dizerem, em voz alta, o nome de parentes que perderam a vida no conflito.

Mais de 30% das vítimas fatais da guerra (65.146) eram civis, das quais 10.664 crianças.

Entre os combatentes do regime, 38.325 eram rebeldes sírios, enquanto 24.989, jihadistas estrangeiros.

Do lado dos aliados de Bashar Al Assad, os mortos incluíram 45.385 soldados, 29.943 milicianos, 640 membros do movimento libanês xiita Hezbollah e 2.502 milicianos xiitas de outros países.