NOTÍCIAS
11/03/2015 09:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

CGU abre processo administrativo contra mais 10 empresas suspeitas de participar em esquema de corrupção na Petrobras

Montagem/Estadão Conteúdo/Thinkstock

A Controladoria-Geral da União (CGU) fecha o cerco às empreiteiras suspeitas de participação no esquema de corrupção da Petrobras investigado pela Operação Lava Jato. Nesta quarta-feira (11), a CGU abriu processo administrativo contra dez empresas envolvidas no "petrolão":

  • Alumni Engenharia
  • Andrade Gutierrez
  • Fidens Engenharia
  • GDK
  • Odebrecht
  • Odebrecht Ambiental
  • Odebrecht Óleo e Gás
  • Promon Engenharia
  • Sanko Sider
  • SOG Óleo e Gás

Em sua peça de acusação, o Ministério Público Federal afirmou que as empreiteiras integravam o núcleo econômico do esquema.

As empresas atuavam em cartel, formando uma espécie de "clube vip". Para conseguir contratos na Petrobras, elas pagavam propina a então diretores de áreas da estatal, como Paulo Roberto Costa e Nestor Cerveró — apontam as investigações.

Se responsabilizadas, essas empresas estarão impedidas de celebrar novos contratos com órgãos públicos e estatais. Multas e outras penalidades poderão ser aplicadas.

As firmas devem receber notificação nos próximos dias.

Em dezembro, a CGU já havia aberto processos administrativo contra oito empresas citadas na Lava Jato: Camargo Corrêa, Engevix, Galvão Engenharia, Iesa, Mendes Junior, OAS, Queiroz Galvão e UTC-Constran.