NOTÍCIAS
10/03/2015 21:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

PT nega negociações com ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco e Lula reclama de 'vazamentos seletivos'

Montagem/Estadão Conteúdo

Após o depoimento do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco à CPI que investiga desvios de verba da estatal, o PT publicou uma nota para defender a legenda. No texto, o partido reiterou que Vaccari nunca tratou de finanças ou doações para o partido com Barusco, "delator que busca agora o perdão judicial envolvendo outras pessoas em seus malfeitos".

No depoimento, o ex-gerente disse que "sempre combinava" com Vaccari a divisão da propina. Disse ainda que o partido recebeu entre US$ 150 e US$ 200 milhões entre 2003 e 2013. Segundo ele, o valor é praticamente o dobro do que ele embolsou, cerca de de US$ 100 milhões.

De acordo com a nota, Barusco não apresentou nenhuma prova ou mesmo indício que liguem Vaccari ao recebimento de propinas. "Reiteramos que, justamente por fazer denúncias sem apresentar provas, o senhor Barusco está sendo processado pelo PT".

Vazamentos seletivos

No mesmo tom do partido, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reclamou dos "vazamentos seletivos". Em entrevista a três veículos de comunicação na última sexta-feira (6), divulgada nesta terça-feira (10), o ex-presidente ressaltou que "nem tudo que é falado (sobre a investigação) é mentira, mas nem tudo é verdade".

Ele também disse que é preciso ter capacidade de fazer um processo de depuração. "Separar o joio do trigo e tentar encontrar o que é sério", afirmou, segundo a Folha de S. Paulo.

Na entrevista, feita no momento em que o Supremo Tribunal Federal divulgou a relação dos políticos que serão investigados, o ex-presidente reiterou que quem quer que tenha praticado qualquer ato de corrupção deve ser punido.

"Se há uma denúncia de corrupção, e você tem Justiça apurando, Polícia Federal investigando, é um processo natural em qualquer país democrático. Ninguém pode ser condenado antes do julgamento final, mas no Brasil estamos vivendo um momento em que os vazamentos de informações são seletivos. Se são seletivos, significa que se condena quem quiser condenar, no momento que acharem mais adequado."