COMPORTAMENTO
09/03/2015 12:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Emma Watson fala pela primeira vez sobre ataques online: 'Se eles estavam tentando me calar, eles conseguiram o oposto'

Por Kieran Guilbert LONDRES (Reuters) - A atriz britânica Emma Watson pediu no domingo que mais homens e meninos assumam uma posição em prol dos direitos das mulheres e tenham orgulho de ser

ASSOCIATED PRESS
Actress Emma Watson walks between buildings following commencement services on the campus of Brown University, Sunday, May 25, 2014, in Providence, R.I. The actress, best known for her role as Hermione Granger in the “Harry Potter” movies, graduated with a bachelor's degree in English literature from the Ivy League university. (AP Photo/Steven Senne)

A atriz britânica e embaixadora da boa vontade da ONU Mulheres, Emma Watson, de 24 anos, pediu, neste domingo (8), Dia Internacional da Mulher, em debate publicado na página de seu Facebook, que mais homens e meninos assumam uma posição em prol dos direitos das mulheres e impulsionar a campanha #HeForShe. Ela aproveitou também para falar pela primeira vez sobre a ameaça on-line que sofreu ano passado após fazer um discurso na ONU, ao anunciar a campanha.

Até agora, cerca de 240.000 homens prometeram se empenhar, de acordo com o site da #HeForShe, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o ator Matt Damon, mas há uma meta de mobilizar um bilhão de homens e meninos até julho."Tem havido uma onda sólida de apoio, mas precisamos que mais homens tomem uma posição pela igualdade de gênero", afirmou Emma.

"Os homens geralmente pensam que feminismo é exclusivo para mulheres... Mas se você se posiciona à favor da igualdade entre os gêneros, de certa forma, você é um feminista."

Emma, que se tornou famosa ao interpretar a personagem Hermione Granger nos filmes da série Harry Potter, disse que a campanha não é sobre os homens salvarem mulheres e também convidou as mulheres a endossarem a luta. "É desconfortável e constrangedor para as mulheres reconhecerem que há um problema, mas precisamos entender que somos cúmplices", disse.

A atriz afirmou estar satisfeita com a resposta à iniciativa IMPACTO 10x10x10, um projeto piloto de um ano de duração, lançado em janeiro, que busca obter o comprometimento de governos, empresas e universidades para a emancipação das mulheres e igualdade de gênero. Vários países, incluindo a Suécia, os Países Baixos e a Serra Leoa, apoiaram a campanha.

Quando lhe perguntaram sobre a igualdade de gênero em uma escala mundial, Emma elogiou o poder das mídias sociais por permitir que meninas e mulheres possam interagir com outras pessoas que lhes poderiam dar conselhos e apoio.

Ataques virtuais

Além de falar sobre sua campanha frente à ONU, ela comentou pela primeira vez sobre o fato de ter sido ameaçada com a divulgação de suas fotos íntimas no ano passado.

"Eu sabia que era um hoax. Sabia que as fotos não existiam. Muitas pessoas próximas a mim sabiam que igualdade de gêneros era um problema, mas nunca pensaram que era urgente, ou achavam que 'vivemos na Grã Breatanha, isso é coisa do passado'. E então eles viram que no minuto em que eu me impus e falei sobre diretos das mulheres, eu fui ameaçada imediatamente – em menos de 12 horas eu estava recebendo ameaças. Acho que eles ficaram realmente chocados, e um dos meus irmãos ficou muito chateado", contou.

Ela continua:

"Acho que foi uma chamada 'Oh, isso é uma coisa real, está acontecendo mesmo. Agora'. As mulheres estão recebendo ameaças de todas formas diferentes. Aquela foi apenas uma específica. Me fez muito mais determinada, Eu fiquei apenas furiosa. Me deixou com tanta raiava que eu pensei 'é por isso que tenho que fazer isso'. Então na verdade, se eles estavam tentando me calar, eles conseguiram o oposto".

A ameaça das fotos veio após Emma fazer um discurso sobre igualdade de gêneros na ONU, por conta da campanha #HeForShe. Um site entitulado Emma, You're Next (Emma, você é a próxima, em português) chegou a entrar no ar, mas depois foi revelado que tudo não passou de uma "brincadeira".

Você pode assistir aos vídeos da entrevista com Emma abaixo: