NOTÍCIAS
07/03/2015 11:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

"Estou cagando e andando", diz vice-governador listado na Operação Lava Jato

Reprodução/Facebook

"Estou cagando e andando": esta foi a resposta do vice-governador da Bahia, João Felipe de Souza Leão, do PP, sobre seu suposto envolvimento com os escândalos de corrupção na Petrobras.

João Leão figura na relação de políticos envolvidos em inquéritos da Operação Lava Jato que divulgada nesta sexta (6) pelo ministro Teori Zavascki, do STF.

"Estou cagando e andando, no bom português, na cabeça desses cornos todos. Sou um cara sério, bato no meu peito e não tenho culpa. Segunda-feira vou para Brasília saber porque estou envolvido [...] Recebi recursos da OAS [em 2010] mas quem recebeu recursos legais, na conta legal, tem culpa?", disse o vice-governador em nota repercutida pela Folha de S.Paulo.

O Partido Progressista, ao qual João Leão é filiado, é o grande protagonista da chamada "Lista de Janot". Ao todo, 30 integrantes da legenda tiveram o pedido de investigação aceito pelo STF - o número corresponde a três senadores, dezoito deputados, oito ex-deputados e o vice-governador Leão, como aponta o Estado de S.Paulo.

Leão não foi o único a desqualificar a lista pedida por Janot ao STF. Em seu Twitter, o presidente Eduardo Cunha (PMDB-RJ) floodou a timeline de todo mundo desabafou, classificando o trabalho da Procuradoria Geral da República como uma como uma "piada".

De acordo com reportagem do G1, que procurou todos os 47 elencados na lista de abertura de inquérito divulgada pelo Supremo, a maior parte dos envolvidos disse estar "surpreso" com a decisão do ministro Teori Zavascki.