NOTÍCIAS
04/03/2015 20:08 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Sem surpresa, BC eleva taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual para 12,75% ao ano

Estadão Conteúdo/Flickr

Sem surpresas, o Banco Central decidiu nesta quarta-feira (04) elevar em 0,50 ponto percentual a taxa básica de juros (Selic), passando de 12,25% para 12,75%.

Esta é a quarta alta consecutiva nos juros básicos da economia, que estão avançando desde outubro do ano passado e atingiram nesta quarta o maior patamar desde 2009, quando estava em 13,75% ao ano. Ou seja, é a maior alta dos últimos seis anos.

A preocupação em controlar o crédito e o consumo, e assim, segurar a inflação, deve ter sido o principal motivo para a decisão do Copom (Comitê de Política Monetária), de acordo com a Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade).

Com a elevação, os juros ao consumidor atingiram 111,32% ano ano, contra 109,02% na taxa passada. Isso significa que, a partir de agora, você pagará mais caro no financiamento, cartão de crédito, cheque especial e no empréstimo pessoal.

Na ponta do lápis, um consumidor que utiliza R$ 3.000 por mês no cartão de crédito pagará ao final do ano R$ 337,80 apenas de juros. Já um empréstimo pessoal de R$ 5.000, a uma taxa mensal de R$ 3,79%, o consumidor vai pagar, no total, R$ 6.315,47.

Recessão à vista?

A previsão do mercado é que os juros cheguem a 13,00% até o final de 2015, de acordo com o relatório Focus, divulgado na segunda-feira pelo Banco Central. A tentativa de conter a inflação encarecendo o crédito tem seu lado ruim: os juros elevados prejudicam ainda mais o crescimento da economia.

Com indicadores econômicos cada vez piores, as apostas de uma possível recessão no País têm se intensificado entre os economistas. A expectativa divulgada pelo BC é que a economia brasileira tenha registrado crescimento zero em 2014 e que o ano de 2015 tenha retração de 0,58% no PIB (Produto Interno Bruto). Se a previsão se confirmar, será a maior queda em 25 anos.