NOTÍCIAS
04/03/2015 17:45 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Justiça indiana proíbe exibição de documentário com depoimentos chocantes de condenado por estupro coletivo

AP Photo

A justiça indiana proibiu a exibição do documentário India’s Daughter, que seria transmitido pelo canal NDTV no próximo domingo (8), Dia Internacional da Mulher.

O filme traz declarações de um dos condenados por estuprar uma jovem dentro de um ônibus em Nova Déli, em dezembro de 2012. O crime gerou uma onda de manifestações no país.

Mukesh Singh, que conduzia o veículo, afirmou que a jovem de 23 anos, que morreu 13 dias após o ataque, era culpada pelo crime, e se referiu ao estupro como um acidente.

Em seu depoimento, ele não expressa nenhum remorso e afirma ainda que a vítima deveria ter permitido o estupro.

De acordo com informações da BBC, duas queixas foram registradas contra o filme, alegando que seu conteúdo violava o código penal indiano.

A autora do documentário, a britânica Leslee Udwin, pediu que o premiê indiano Narendra Modi intervenha contra a decisão. Outras autoridades indianas chegaram a mencionar solicitar que o filme também não seja exibido no exterior, alegando que o documentário difama o país.

Em um comunicado divulgado nesta quarta (4), a Leslee criticou a postura do país, e disse que o documentário é “uma oportunidade para que a Índia continue mostrando ao mundo como mudou desde o crime hediondo”.

Segundo o ministro do Interior da Índia, Rajnath Singh, o governo também vai atuar para que o filme não seja difundido em outras plataformas e em mídias sociais. Ele também afirmou que a documentarista está usando uma tragédia para fins comerciais.

A autora do documentário afirma que fez as entrevistas com autorização do diretor da prisão onde Singh – que foi condenado à morte por enforcamento – está detido, e também com o aval do Ministério de Assuntos Internos do país. Ela também teve o apoio da família da vítima para produzir o material.

A BBC confirmou a exibição do documentário, que vai ser transmitido no Reino Unido, na Dinamarca, na Suécia, na Suíça, na Noruega e no Canadá.