NOTÍCIAS
04/03/2015 11:06 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Com ajuste fiscal e incertezas econômicas, dólar opera em alta nesta quarta e bate R$ 2,97

Thinkstock/Getty Images

Após fechar em R$ 2,92 na última terça-feira, o dólar opera em forte alta na manhã de hoje, com crescimento de 1,47%, cotado a R$ 2,9710.

Na véspera, o presidente do Congresso, Renan Calheiros, surpreendeu o Executivo ao rejeitar a medida provisória que trata de desonerações para vários setores. A decisão agrava as dificuldades para concretizar o ajuste fiscal proposto pela equipe econômica.

O câmbio também está pressionado por uma piora da percepção sobre o País e o viés positivo da moeda norte-americana frente o euro e divisas de países emergentes e ligadas a commodities em meio à espera pelos dados de emprego privado nos Estados Unidos.

Os sinais de maior dificuldade e possível atraso para a aprovação do ajuste fiscal pretendido pelo governo no Congresso Nacional deterioram as expectativas nos mercados. Também pesa a desconfiança de que o governo poderá suspender ou alterar as condições do programa de swap cambial a partir de 1º de abril.

A apresentação da Lista de Janot ao Supremo Tribunal Federal, que incluiria os nomes dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha, e do Senado, Renan Calheiros, entre os políticos supostamente envolvidos nos esquemas de corrupção investigados pela Operação Lava Jato da Polícia Federal, já desencadeou reações negativas em Brasília, que elevam a cautela nos mercados.

Também ontem, a agência Fitch Ratings, que deve chegar ao País no dia 16, avaliou em relatório que cortar despesas neste ano será algo "desafiador" para os estados brasileiros do ponto de vista político e após gastarem em excesso em 2014 com as eleições.

(Com informações do Estadão Conteúdo)