NOTÍCIAS
03/03/2015 19:29 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

'Vem ni mim que to facim' vira estampa de camiseta infantil da grife de Luciano Huck

Reprodução

"Vem ni mim que eu to facim". A frase, usada por quem está na balada e abert@ a beijar outras pessoas, virou estampa de camisetas - pasmem - infantis. Criação da grife do apresentador Luciano Huck a peça estava sendo vendida até a tarde desta terça-feira (3) no site da Use Huck.

De acordo com a descrição no site da marca, a camiseta fazia parte da coleção especial de Carnaval, e era vendida nos tamanhos de 2 a 12:

É hora de colocar o bloco na rua, aproveitar cada segundo os dias de folia! Por isso a Huck criou uma coleção especial para você fazer bonito na avenida e receber o carnaval no estilo! Como a camiseta Vem Ni Mim Que Tô Facin. A camiseta estampada com a frase "Vem Ni Mim Que Tô Facin" é a cara do carnaval! Uma camiseta divertida. Uma camiseta personalizada. Uma camiseta exclusiva!

Com a estampa, o apresentador virou alvo de críticas nas redes sociais. No Twitter, Huck era acusado de fazer apologia à pedofilia e os usuários questionavam se ele deixaria os filhos usarem a camiseta.

E essa não foi a única estampa polêmica da linha. A frase "Me beija que eu sou carioca" também foi usada em uma das camisetas infantis:

No início desta noite, a página onde a camiseta estava sendo vendida foi tirada do ar. A Use Huck divulgou uma nota na noite desta terça:

"Pedimos profundas desculpas sobre a camiseta Vem Ni Mim Que Tô Facinha e sentimos muito por todos que foram ofendidos pela imagem.

Este Comunicado não tem o objetivo de justificar o injustificável; mas apenas de explicar o motivo do erro para que fique claro que não houve qualquer intenção maldosa.

Não nos eximimos do erro, nem de qualquer responsabilidade, mas é importante esclarecer que não houve a intenção de ofensa.

É comum em e-commerce que as artes das estampas sejam aplicadas posteriormente sobre fotos dos modelos com camiseta branca, conforme o exemplo abaixo.

Por erro nosso, todas as artes de Carnaval (inclusive e infelizmente, esta arte) foram aplicadas sobre a coleção infantil e disponibilizadas no site sem a devida revisão.

Assim que percebemos esse lamentável erro, imediatamente retiramos a imagem do ar e decidimos escrever essa carta para explicar tecnicamente o problema conjuntamente com um pedido de desculpa pela falta de bom-senso e pelo descuido.

Obviamente, não fosse o erro, nem a USEHUCK, nem qualquer outra marca, teria a intenção de usar uma imgem como essa para vender camisetas ou para qualquer outro fim."

E as reações no Twitter à gafe da gripe de Luciano Huck não pararam: