NOTÍCIAS
26/02/2015 10:47 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Suzane von Richthofen admite ter planejado a morte dos pais com os irmãos Cravinhos: 'Nós três bolamos aquilo' (VÍDEO)

Aos 31 anos, Suzane von Richthofen admitiu ter planejado a morte dos pais durante meses com o namorado na época, Daniel Cravinhos, e com o irmão dele, Christian Cravinhos. “Eles e eu juntos não é uma boa combinação. Não foi nada legal tudo aquilo que aconteceu. Não foi na véspera que tudo foi resolvido. Eu fiz parte? Eu fiz parte. Nós três bolamos aquilo”, disse ela, em uma entrevista exibida nesta quarta-feira (25) pelo apresentador Gugu, que estreou um novo programa na Rede Record.

Suzane foi condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, Manfred e Marísia von Richthofen, em setembro de 2002. Desde a época dos crimes, ela sempre acusava os irmãos Cravinhos como os mentores do crime brutal, o que não convenceu a Justiça, que a condenou em 2006. No mesmo ano, ela deu uma polêmica entrevista ao Fantástico, da TV Globo, na qual era orientada a chorar pelo advogado.

Ao apresentador Gugu, Suzane falou sobre a rotina na cadeia. Na penitenciária 1 de Tremembé (SP), ela trabalha com confecções, área na qual pretende se dedicar quando sair da prisão. Ela já poderia estar no regime semiaberto, mas abriu mão desse direito “por segurança” e para ficar mais perto da mulher, Sandra Regina Gomes, condenada a 27 anos de prisão pelo sequestro e morte de um adolescente em Mogi das Cruzes (SP). As duas se casaram em setembro do ano passado.

Suzane ainda disse esperar uma reaproximação com o irmão, Andreas, o qual ela não vê desde 2006. Ela disse “amá-lo muito”, mas que entende a situação. “Eu sei que meu irmão sofreu muito, mas como ele passou esses anos, eu não sei. Se eu sofri aqui dentro, imagino ele lá fora. Quando ele diz o sobrenome, qualquer um reconhece, e ele terá que carregar isto pra sempre”, disse.

Suzane confirmou também ter pedido para ficar de fora do espólio dos país, estimado em R$ 3 milhões (“este dinheiro nunca foi meu”, comentou) e apontou um arrependimento: ter conhecido os irmãos Cravinhos. Não que isso diminua a sua culpa, a própria admite. “Se eu não tivesse conhecido os Cravinhos, minha vida seria muito diferente. Mas não culpo apenas eles; onde um não quer, dois não fazem”, afirmou.