NOTÍCIAS
25/02/2015 22:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02

Câmara aprova projeto que endurece as regras para criação e fusão de partidos

WERTHER SANTANA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (25) um projeto que endurrece as regras para criação e fusão de partidos. O projeto, que segue para analise do Senado, dificulta a vida do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, que quer funidr o futuro PL com o PSD, e da candidata derrotada ao Planalto, Marina Silva (PSB), que trabalha na criação da Rede Sustentabilidade.

A aprovação do projeto foi uma reação de partidos que temiam perder espaço com a manobra de Kassab. O PMDB, que é a maior bancada, via a possibilidade do partido do ministro tomar esse posto. Outro que se sentiu ameaçado foi o DEM, que já foi esvaziado uma vez quando o ministro criou o PSD.

De acordo com o texto aprovado, a fusão só poderá ocorrer cinco anos após a criação de um novo partido. Líder o Pros, o deputado Domingos Neto (CE) considerou a proposta um "retrocesso". O ministro da Educação, Cid Gomes (Pros), também articula um movimento como o de Kassab para inflar o partido e conseguir mais apoio para a presidente Dilma Rousseff.

A vida de Marina Silva pode ficar mais difiícil porque os parlamentares decidiram que as assinaturas para a criação de um novo partido só poderão ser aceitas se a pessoa que assinou não for filiada a nenhum partido, Para o autor da proposta, deputado Sandro Alex (PPS-PR), o processo ficou mais justo.