MUNDO
25/02/2015 19:34 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:03 -02

Câmara aprova moção de repúdio contra a prisão do prefeito de Caracas

Montagem/Estadão Conteúdo

Líderes da oposição, com o apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), conseguiram aprovar nesta quarta-feira (25) uma moção de repúdio contra a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma. O ato é uma reação ao comportamento da presidente Dilma Rousseff, que evitou comentar o caso e concedeu a credencial ao embaixador da Venezuela.

"Não posso receber um embaixador baseado nas questões internas do país. Eu recebo os embaixadores baseado nas relações que estabelecem com o Brasil", disse a presidente na sexta-feira (20).

Opositor ao governo chavista, Ledezma foi preso na noite de quinta-feira (18) por agentes do Serviço Bolivariano de Inteligência. Ele é acusado pelo presidente, Nicolás Maduro, de planejar um golpe de estado.

Desde a semana passada, integrantes da oposição tem questionado o comportamento da presidente. No Twitter, o líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), perguntou onde estava a solidariedade de Dilma.

O líder do PMDB também se pronunciou sobre o caso no Twitter: