NOTÍCIAS
23/02/2015 17:27 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Senador da oposição, José Agripino é acusado de ter cobrado mais de R$ 1 milhão de propina

André Dusek/Estadão Conteúdo

Um dos principais integrantes da oposição, conhecido pela cobrança por ética e a crítica à corrupção, o senador e presidente do Democratas, José Agripino (RN), está no centro de um esquema denunciado pelo Fantástico neste domingo (23).

De acordo com a reportagem, o empresário George Olímpio, do mesmo estado do senador, disse que Agripino cobrou mais de R$ 1 milhão de propina. O senador nega enfaticamente.

O empresário também disse que participam do esquema a ex-governadora do estado, Wilma de Faria (PSB), o filho dela Lauro Maia, o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PMDB) e o vice-governador, Iberê Ferreira (PSB), morto no ano passado.

Ao Fantástico, o senador admitiu que recebeu Olímpio tanto em Natal quanto em Brasília, mas negou a cobrança de propina. "Ele não me deu R$ 1 milhão coisíssima nenhuma. Eu nunca pedi nenhum dinheiro, nenhum valor, conforme ele próprio declarou em cartório", disse Agripino ao Fantástico.

Em 2012, o empresário registrou um documento em cartório, onde negou ter dado dinheiro ao senador. Ontem, Agripino se defendeu no Twitter:

Agripino foi coordenador da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG) na corrida presidencial, no ano passado. Na época, mais de um mês antes da eleições, Agripino se adiantou, chegou admitir possível derrota do tucano e sinalizou apoio a Marina Silva (PSB).