NOTÍCIAS
23/02/2015 11:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Relembre as frases mais marcantes da premiação do Oscar 2015

Após a divulgação das indicações do Oscar 2015, a Academia foi alvo de pesadas críticas. Pudera: este foi o Oscar mais branco desde 1998.

Talvez em reação a esse fenômeno, as estrelas de Hollywood trouxeram várias pautas progressistas para a cerimônia. Isso fez com que as redes sociais consagrassem a premiação como o "Oscar das minorias".

Começou com a campanha feminista #AskHerMore, que pedia menos machismo no tapete vermelho.

E continuou no palco do Dolby Theatre, com discursos que abordaram suicídio, racismo, imigração, direitos das mulheres e até mesmo o amor puro e simples. Veja as falas mais marcantes:

1. Neil Patrick Harris e o #OscarSoWhite

O apresentador meteu o pé na porta em sua primeira fala da noite:

"Bem-vindos ao 87º Oscar! Hoje, nós honramos os melhores e mais brancos. Ops, mais brilhantes!"

Foi uma referência ao fato de que esta é a premiação com menor representatividade negra em muitos e muitos anos. Não existe sequer um ator negro entre todos os indicados.

2. JK Simmons amoroso

JK Simmons foi reconhecido com um Oscar de melhor ator coadjuvante por seu papel em Whiplash.

O ator de 60 anos usou seu tempo de fala para defender relações mais amorosas, principalmente com as mamães:

"Se posso dizer isso, liguem para suas mães, todo mundo. Eu disse isso para um bilhão de pessoas: liguem para suas mães, liguem para seus pais. Se vocês têm a sorte de ter seus pais vivos neste planeta, liguem para eles! Não enviem mensagens. Não enviem emails. Liguem para eles no telefone, diga a eles que você os ama, e agradeça. Obrigado, mamãe e papai."

3. Patricia Arquette lacrando tudo

A vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por Boyhood, deu um duplo twist carpado na cara do machismo em seu discurso.

"Para toda mulher que deu à luz, para cada cidadão que paga seus impostos nesta nação: Já lutamos por direitos iguais para todos os outros. É hora de termos igualdade salarial de uma vez por todas, e direitos iguais para as mulheres dos Estados Unidos da América."

Todo mundo reagiu assim, é claro:

4. John Legend e Common por direitos civis

John Legend e Common levaram a estatueta pela trilha sonora de Selma. Em seu discurso, Common conclamou os movimentos sociais por direitos civis:

"O espírito desta ponte liga as crianças de Chicago, sonhando com uma vida melhor, àqueles que lutam pela liberdade de expressão na França, àqueles em Hong Kong, protestando por democracia (...) Ela foi construída com esperança, compaixão e amor por todos os seres humanos"

John Legend também realizou um discurso de elevado teor político:

"Sabemos que agora mesmo, a luta por liberdade e justiça é real. Vivemos no país mais encarcerado do mundo. Existem mais homens negros no sistema prisional hoje do que escravizados em 1850"

5. Dana Perry e Graham Moore abrem o jogo sobre suicídio

"Quando eu tinha 16 anos, tentei me matar porque me sentia estranho e diferente, como se simplesmente não pertencesse a nenhum lugar. Queria dedicar este momento àqueles que sentem que não se encaixam em nenhum lugar. Vocês se encaixam. Eu prometo que sim. Continuem estranhos. Continuem diferentes. Quando for a sua vez e você estiver neste palco, por favor passe a mesma mensagem para os próximos que virão."

Esta foi o discurso demolidor de Graham Moore, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado por "O jogo da imitação".

Ela não foi a única a abordar suicídio. A fala curta, mas poderosa da diretora Dana Penny, vencedora do Oscar pelo documentário de curta metragem "Crisis Hotline: Veterans Press 1", arrepiou até o último fio de cabelo:

"Quero dedicar isso ao meu filho Even Perry. Perdemos ele para o suicídio. Devíamos falar em voz alta sobre o suicídio. Isso é para ele."

6. Iñárritu pede dignidade para os imigrantes

Em seu terceiro discurso da noite, o grande vencedor Alejandro González Iñárritu falou sobre imigração. O diretor de Birdman, que é mexicano, dedicou seu Oscar a seus compatriotas:

"Àqueles que vivem nos Estados Unidos, que são parte desta última geração de imigrantes neste país: só rezo para que sejam tratados com a mesma dignidade e respeito que aqueles que chegaram antes e construíram esta incrível nação de imigrantes. Muito obrigado."

Precisa de ajuda? No Brasil, ligue para o CVV - Centro de Valorização da Vida no telefone 141.

7. Cheryl Boone pela liberdade de expressão

A presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas Cheryl Boone Isaacs usou seu momento no Oscar para falar sobre liberdade de expressão.

Acredita-se que a fala seja uma referência ao incidente diplomático envolvendo a Coreia do Norte e o filme "A Entrevista".

"Nós temos a responsabilidade de garantir que a voz de ninguém seja silenciada por ameaças. A responsabilidade de proteger a liberdade de expressão."

A liberdade de expressão também foi tema do discurso de Laura Poitras, pelo documentário CitizenFour, sobre Edward Snowden.

Ela dedicou seu prêmio a Glenn Greenwald e "outros jornalistas que estão expondo a verdade".

"As revelações de Edward Snowden não só expõem uma ameaça à nossa privacidade, mas à nossa democracia. Quando as decisões mais importantes que afetam a todos nós estão sendo realizadas em segredo, perdemos a habilidade de vigiar os poderes que detêm o controle"

LEIA MAIS

- #AskHerMore: Atrizes querem um tapete vermelho menos sexista nas premiações de Hollywood

- Patricia Arquette vence o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante e pede igualdade salarial em Hollywood

- Oscar 2015: lista dos vencedores; 'Birdman' se destacaram em noite de contestação