NOTÍCIAS
23/02/2015 17:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Itália reforça segurança após ameaças do Estado Islâmico; usuários do Twitter debocham de extremistas

Montagem / AP Photo

Os planos do Estado Islâmico – grupo terrorista que atua principalmente na Síria e no Iraque – de “conquistar” Roma não são de hoje. No entanto, parece que as últimas ameaças do grupo fizeram com que o governo italiano entrasse em alerta.

Segundo o USA Today, o governo italiano reforçou a segurança de pontos turísticos e outros locais que poderiam ser “alvos” de extremistas.

Em um dos últimos vídeos divulgados pelo Estado Islâmico – no qual 21 cristãos egípcios são decapitados – os militantes fazem ameaças diretas à capital italiana.

"Nós vamos conquistar Roma, com a permissão de Alá." Em uma legenda no vídeo, pode-se ler: "O povo da cruz, os seguidores da igreja egípcia hostil."

A expansão das atividades do grupo para a Líbia, onde o vídeo foi gravado, é outro ponto que preocupa os italianos. De acordo com a Folha de S.Paulo as atividades do grupo no país podem aumentar o fluxo de imigrantes clandestinos e facilitar a entrada de membros do Estado Islâmico no território europeu. A ilha italiana de Lampedusa está a menos de 200 km do país e é acessada com frequência de barco pelos imigrantes.

Neste domingo (22), militantes leais ao grupo assumiram a responsabilidade pelo ataque à residência do embaixador iraniano na capital da Líbia e pelos foguetes lançados contra o aeroporto de Labraq.

As novas ameaças contra os italianos vêm meses depois de a revista Dabiq, atribuída ao grupo, circular pela internet com uma imagem da Basílica de São Pedro com uma bandeira do Estado Islâmico no lugar da cruz que adorna um obelisco.

A reportagem de capa da revista, divulgada em outubro do ano passado, chamada “A Cruzada Fracassada”, provisiona a antiga cidade italiana sob o domínio de um califa e um regime linha-dura regido pela Sharia.

O texto convida os aspirantes a jihadistas e atingirem a igreja católica e os seguidores da fé cristã, afirmando que um dia o Estado Islâmico vai conquistar Roma “quebrando cruzes de infiéis e vendendo suas mulheres”.

Em agosto de 2014, o jornal Il Tempo afirmou que os terroristas cogitavam atacar o papa, classificado pelos jihadistas como “portador de falsas verdades”.

Nem o governo italiano nem o Vaticano se pronunciaram oficialmente sobre as ameaças.

Humor

Após a ameaça, simpatizantes do regime – que pretende estabelecer um califado – começaram a utilizar a hashtag #We_Are_Coming_O_Rome. Os italianos, rapidamente responderam à ameaça com bom humor e um pouco, digamos, de ousadia: o Twitter foi inundado com os mais variados “conselhos” para os militantes: foram dicas turísticas, gastronômicas... veja as melhores.

Teve este usuário, que fez piada com o trânsito

Outro que mandou dicas sobre o transporte público...

E sobre como pegar taxis em Roma

Também não faltaram conselhos gastronômicos para os militantes

E este, que aconselhou os militantes a não utilizarem o Costa Concordia para chegar ao país