NOTÍCIAS
19/02/2015 17:23 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Chuvas acima da média em fevereiro quase dobram nível do Cantareira e podem evitar rodízio de água em SP

Reprodução/TV

A chuva frequente de fevereiro nutre o fio de esperança de que São Paulo pode se livrar do iminente rodízio de água a partir de março.

Como o nível dos reservatórios do Sistema Cantareira vem crescendo dia a dia, há a expectativa de que o banho dos paulistas não seja comprometido.

Nesta quinta-feira (19), o Cantareira atingiu a marca de 9,5%. É quase o dobro do registrado no dia 2 de fevereiro, quando o volume era de 5%.

Já são duas semanas de avanço.

Para que não haja rodízio, o nível do sistema deve alcançar de 13% a 14%, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) negou que haja prazo para implementar o procedimento.

Porém, fontes do governo disseram à Folha que a "soma das águas" da chuva e do aumento de vazão decorrente das obras de reservatórios impediria um racionamento mais amplo e periódico.

A Sabesp informa que o nível do Cantareira também tem sido elevado por conta da redução de 66% do volume de água retirado do sistema.

A captação atual é de 1.000 litros por segundo; no ano passado, era de 32.600 l/s.

Recorde de água

O volume de chuvas neste mês já atingiu 260 milímetros — 30,6% maior que a média histórica de fevereiro, de 199,1 mm.

Além do Cantareira, o manancial do Alto Tietê, que é uma alternativa ao maior sistema de São Paulo, também teve uma alta expressiva nesta semana.

Já são duas semanas de elevação no Alto Tietê; a capacidade medida nesta quinta é de 17,2% ante 16,3% de ontem (18).

(Com informações da Estadão Conteúdo)