NOTÍCIAS
17/02/2015 14:06 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Indonésia deve adiar execução de brasileiro condenado à morte, diz porta-voz

Reprodução / Fantástico

O governo da Indonésia deve adiar a execução de prisioneiros condenados à pena de morte, segundo informações da BBC. Entre eles, está o paranaense Rodrigo Gularte.

O adiamento, segundo o porta-voz do procurador-geral da Indonésia, Tony Spontana, é necessário porque a prisão onde as sentenças de morte seriam cumpridas não está pronta. Segundo ele, "está quase certo" que as execuções não serão realizadas neste mês, como previsto. Spontana, no entanto, não anunciou quando elas irão ocorrer.

As penas de morte por fuzilamento são realizadas na ilha de Nusakambangan e, segundo Spontana, os preparativos se atrasaram.

Cocaína em pranchas

Gularte está no corredor da morte há mais de dez anos. Ele foi preso em 2004 ao tentar entrar no país com 6 kg de cocaína em pranchas de surfe. Em 2005, ele foi condenado à morte.

Outros dois amigos de Gularte também foram presos em Jacarta, mas ele assumiu toda a culpa pelo crime. Seus amigos foram então liberados. O trio tinha como destino final a ilha de Bali.

Em entrevista ao "Fantástico", da TV Globo, a mãe do preso, Clarissa Gularte, disse que o filho já "pagou o suficiente" pelo crime e que espera agora a transferência de Gularte para a unidade psiquiátrica.