NOTÍCIAS
15/02/2015 20:48 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Estado Islâmico divulga vídeo com decapitação de 21 cristãos egípcios

YouTube

Um vídeo divulgado por militantes na Líbia que afirmam lealdade ao grupo extremista Estado Islâmico mostra a decapitação em massa de cristãos coptas mantidos reféns.

O vídeo, divulgado na noite deste domingo (15), mostra 21 homens vestidos de laranja sendo conduzidos ao longo de uma praia, cada um acompanhado por um militante mascarado. Os homens são obrigados a se ajoelhar e um militante, vestido de forma diferente dos demais, se dirige à câmera falando em inglês, com um sotaque norte-americano.

"Todos os cruzados: segurança para vocês será apenas desejo, especialmente se vocês estão lutando contra nós todos juntos. Por isso vamos lutar contra vocês todos juntos", diz. "O mar onde esconderam o corpo de Osama Bin Laden, nós juramos por Alá que vamos misturá-lo com o seu sangue."

Os homens são, então, colocados com os rostos para o chão e decapitados simultaneamente.

O militante que apresentava o vídeo então aponta em direção ao norte e diz: "Nós vamos conquistar Roma, com a permissão de Alá." Em uma legenda no vídeo, pode-se ler: "O povo da cruz, os seguidores da igreja egípcia hostil."

Militantes do Estado Islâmico na Líbia mantinham 21 cristãos coptas egípcios como reféns há semanas, ameaçando-os de morte. Os produtores do vídeo se identificam como sendo da Província de Trípoli do Estado Islâmico — o grupo extremista que controla cerca de um terço da Síria e do Iraque. A veracidade do filme ainda não pode ser confirmada.

O governo egípcio declarou um período de luto de sete dias e o presidente Abdel Fattah el-Sissi convocou uma reunião de segurança nacional de emergência para discutir uma resposta. El-Sissi enviou condolências às "vítimas do terrorismo", de acordo com um comunicado divulgado pela presidência.

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)