NOTÍCIAS
13/02/2015 10:52 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02

Estudantes protestam em Caracas contra a gestão do presidente Nicolás Maduro

Esteban Felix/Estadão Conteúdo

Um ano após o início dos protestos contra o governo de Nicolás Maduro na Venezuela, estudantes voltaram às ruas em um ato marcado por confrontos com a polícia, mas sem registro de graves incidentes.

Na quinta-feira (12), segundo informações do G1, cerca de 200 estudantes tentaram marchar no centro de Caracas, em ruas próximas à Universidade Central da Venezuela. Forças anti-protestos, entretanto, impediram que eles chegassem à Igreja San Pedro, destino final do grupo.

Também foram registrados movimentos oposicionistas no leste na capital.

Em resposta, o governo fechou as cinco estações de metrô que passam pela rota dos protestos.

Iniciadas no ano passado, as manifestações foram impulsionada pela prisão do líder do partido Vontade Popular, Leopoldo Lópes. O ativistas questionam o aumento da inflação que chegou a 64% no ano passado, a insegurança e a escassez de produtos básicos.

Em San Cristóbal, onde os atos começaram, pelo menos 43 pessoas morreram nos protestos de fevereiro a junho de 2014.

Leia Mais

- Pacote com 36 camisinhas custa mais de R$ 2.000 na Venezuela

- Política econômica & crise copulativa: desabastecimento de preservativos na Venezuela