12/02/2015 16:47 -02 | Atualizado 11/01/2019 11:04 -02

11 obras de Tomie Ohtake que coloriram São Paulo (FOTOS)

A dama das artes brasileiras faleceu nesta quinta (12) depois de dez dias internada no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Tomie Ohtake completou 101 anos em novembro do ano passado, data que foi comemorada com uma exposição de pinturas monocromáticas. A artista japonesa, que vivia no Brasil desde 1936, começou a pintar aos 40 anos e deixa obras lindas, principalmente em São Paulo.

Conheça 11 painéis e esculturas de Tomie Ohtake:

  • 1. Ladeira da Memória, Anhangabaú
    1. Ladeira da Memória, Anhangabaú
    Arte Fora do Museu/Flickr
    Pintura em pena cega do edifício 1984, o painel na lateral de um edifício na Ladeira da Memória tem 55 metros de altura foi promovido pela Emurb (Empresa Municipal de Urbanismo) e patrocinado pelo Banco Nacional.
  • 2. Monumento à Imigração Japonesa, Avenida 23 de Maio
    2. Monumento à Imigração Japonesa, Avenida 23 de Maio
    Rosanna Ruttinger/CON via Getty Images
    Inaugurado em 1988, ele está localizado no canteiro central. São quatro faixas de 12 metros de concreto, em formato de ondas, que representam as gerações de japoneses que vieram para o Brasil. Em 2012, a obra ganhou novas cores a pedido da própria Tomie para que a cidade ganhasse mais uma novidade.
  • 3. Instituto de Estudos Brasileiros, USP
    3. Instituto de Estudos Brasileiros, USP
    Divulgação
    Inaugurado em 1994, a artista usou pastilha vitrificada neste trabalho.
  • 4. Painel Renaissance do São Paulo Hotel, Alameda Santos
    4. Painel Renaissance do São Paulo Hotel,  Alameda Santos
    Divulgação
    O painel de cerâmica de 2 x 5 m fica no hall de entrada do 2º andar do hotel nos Jardins, número 2233.
  • 5. Painel em tapeçaria, auditório do Memorial da América Latina
    5. Painel em tapeçaria, auditório do Memorial da América Latina
    Divulgação
    A obra, de aproximadamente 800 m², sendo 70 metros de largura, foi realizada a convite do arquiteto Oscar Niemeyer, responsável pelo desenho de todo o Memorial. Tomie quis valorizar as curvas da base do auditório e, por isso, pensou nesse desenho em quatro cores.
  • 6. Painel Reflexo D'Água, Sesc Vila Mariana
    6. Painel Reflexo D'Água, Sesc Vila Mariana
    Divulgação
    Em 1997, o salão das piscinas ganhava um painel de 25 por 30 metros, e 9 de altura, de ferro pintado. Ele faz parte de uma intervenção permanente.
  • 7. Berrini
    7. Berrini
    Divulgação
    A arquitetura do edifício, localizado na Av. Eng. Luís Carlos Berrini, número 500, é de seu filho, Ruy Ohtake. Tomie é a autora da escultura em aço com 12,5 metros de comprimento e três toneladas, que fica na Praça Profº José Lannes, parte do empreendimento Berrini 500. Ela foi colocada lá em 2000
  • 8. Escultura 100 aos da imigração japonesa, Aeroporto de Cumbica
    8. Escultura 100 aos da imigração japonesa, Aeroporto de Cumbica
    Divulgação
    A obra de nove metros de diâmetro, localizada do lado de fora do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, foi uma homenagem da artista aos 100 anos da imigração japonesa no Brasil. Ela ocupa uma área de 400 metros quadrados e foi instalada em 2008.
  • 9. Painel Outono, de “As Quatro Estações”, metrô Consolação
    9. Painel Outono, de “As Quatro Estações”, metrô Consolação
    Divulgação
    Com pastilhas de vidro, a artista plástica construiu quatro painéis de 2 metros por 15,40 metros. Com cores sutis, eles representam as estações do ano. O verde simboliza a primavera, o amarelo representa o verão, o azul é para o outono e o vermelho resume o inverno. Esta é uma das poucas obras de Tomie que recebe um nome.
  • Divulgação
    Outra foto dos painéis das estações, este referente à primavera.
  • 10. Ondas vermelhas de gesso, auditório do Ibirapuera
    10. Ondas vermelhas de gesso, auditório do Ibirapuera
    Divulgação
    Em 2004, a artista plástica selou uma parceria com Oscar Niemeyer. Ele desenvolveu a bela arquitetura do teatro enquanto que Tomie deu vida a seu interior.
  • 11. Escultura Ultramarinho, MAC-USP
    11. Escultura Ultramarinho, MAC-USP
    Divulgação
    Em 1999, o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP) ganhou uma escultura em tubo de aço.

*Além destas, Tomie fez outras três obras em São Paulo que a reportagem não localizou em fotos. Uma delas é o arco vermelho, de 3 toneladas e 12,5 metros de altura, no Brooklin. Outra é uma escultura de 13 metros, feita em 1997, no Laboratório Aché, em Guarulhos. A terceira foi feita em 2000. São 12 peças de tubo aço-carbono pintado foram colocadas no Paço das Artes. Os quase arcos, levemente curvos, deixam-se desiquilibrar por qualquer toque.

**Esta nota foi escrita por uma aluna do Curso Abril de Jornalismo (CAJ)

LEIA MAIS:

- Veja frases de Tomie Ohtake sobre sua arte

- 28 locais inusitados, bizarros e imperdíveis na cidade de São Paulo

- 11 obras 3D de arte de rua que vão te hipnotizar (FOTOS)