COMPORTAMENTO
10/02/2015 14:42 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:53 -02

Guia do Carnaval para os gringos: Como REALMENTE é a folia no Brasil, de acordo com brasileiros

Estadão Conteúdo

Quando falamos em Carnaval brasileiro, a primeira coisa que vem à cabeça de um gringo é uma mulata sambando. A verdade é que o Brasil é um país enorme, e cada região tem o seu tipo de folia, com ritmos e costumes diferentes.

Conheça algumas das principais vertentes:

1. Carnaval do Rio

Os carros alegóricos são REALMENTE complexos

O Carnaval mais conhecido ao redor do mundo acontece no Rio de Janeiro. Em uma arena chamada sambódromo da Sapucaí, as escolas de samba competem para ver quem faz o desfile mais bonito.

Mas ao contrário do que se pensa, o carnaval do Rio não é só peito e bunda.

Todo ano, cada escola procura contar uma história. Para isso, os chamados carnavalescos, ou seja, os responsáveis por definir toda a estética do desfile, realizam uma profunda pesquisa histórica sobre o tema escolhido.

A partir dessa pesquisa, eles elaboram a letra do samba-enredo, a fantasia e os carros alegóricos.

A abolição da escravatura no Brasil, cantada em plena ditadura pela escola Império Serrano em 1969, a origem do universo, cantada pela Viradouro em 1997, e até mesmo o conceito de segredo, cantado pela Unidos da Tijuca em 2010, são alguns dos temas que já passaram pela avenida.

Os desfiles são fruto do trabalho de um ano inteiro das comunidades de cada escola de samba.

É comum que famílias inteiras, geração após geração, vivam cotidianamente os ensaios, a montagem dos carros, a produção das fantasias e toda a magia do samba.

Em São Paulo, também há um sambódromo onde acontecem desfiles de escolas de samba, mas o espetáculo não é tão grandioso quanto no Rio.

2. Carnaval de Pernambuco

No Estado do Pernambuco, na região Nordeste do Brasil, o carnaval é bem diferente.

Não há carros alegóricos suntuosos, escolas de samba nem sambódromo: tudo é mais simples e tradicionalista. Os foliões seguem blocos carnavalescos que percorrem as ladeiras da cidade.

Na cidade do Recife, capital do Estado, o maior destaque é o Galo da Madrugada, em que um único carro, enfeitado por um galo gigante, puxa o desfile.

Em Olinda, a tradição são os bonecos gigantes de Olinda, confeccionados à imagem e semelhança de figuras famosas do mundo das celebridades, da política e do folclore brasileiro.

A música também não é o samba, e sim o frevo. Sua principal diferença em relação ao samba é o andamento, mais acelerado, e o uso de trombones, trompetes e outros metais.

Não me pergunte o porquê do guarda-chuva.

A dança do frevo é completamente diferente do samba também. O bailarino realiza passos dificílimos segurando um guarda-chuvinha.

3. Carnaval de Salvador

Nenhum Carnaval no Brasil bate Salvador, capital da Bahia, quando o quesito é sensualidade.

A festa é animada pelos chamados trios elétricos: ENORMES caminhões, lotados de caixas de som hiper potentes.

De cima dos caminhões, grandes astros pop brasileiros fazem shows móveis, que percorrem as ruas da cidade.

Os foliões pulam e dançam 16 horas por dia durante uma semana de muita festa e paquera.

É comum que um participante da festa chegue a trocar mais de quarenta beijos na boca com outros frequentadores.

O ritmo da Bahia é o axé, gênero pop de matriz africana com influências do frevo, do reggae e do merengue, super dançante e acelerado.

Fora do mainstream, há blocos menos pop e mais ligados à tradição africana, como o Ilê Aiyê, o Filhos de Gandhy e o Olodum. Eles cantam pela igualdade racial e social, celebrando a cultura negra e as religiões afro-brasileiras.

4. São Luiz do Paraitinga

Nesta cidadezinha histórica do interior do Estado de São Paulo, o orçamento da festa é menor, e tudo é meio improvisado. Por isso mesmo, talvez seja o Carnaval mais divertido do Brasil. A trilha sonora oficial da festa são as marchinhas.

Geralmente acompanhadas por uma banda marcial, elas têm letras humorísticas que parodiam temas da política e da sociedade. De fácil memorização, as marchinhas são cantadas a plenos pulmões pelos foliões fantasiados que seguem os blocos pelas ruas de paralelepípedo da cidade.

5. Carnaval de Ouro Preto

Em Ouro Preto, cidade do Estado de Minas Gerais, no Sudeste do Brasil, o carnaval é eclético: há palcos espalhados pela cidade, onde artistas pop e DJs fazem apresentações, e blocos de rua, em que os foliões se fantasiam.

Mas o grande chamariz são as festas das repúblicas de estudantes da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). As repúblicas, que ficam instaladas em casarões históricos, oferecem pacotes com hospedagem e open bar 24h. A festa é ininterrupta, e tem pouco a ver com as tradições do carnaval. O que importa é badalar, beber loucamente e dançar música eletrônica até o dia amanhecer.