NOTÍCIAS
06/02/2015 13:07 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:53 -02

'Ele é lindo e perfeito', diz pai que se recusou a dar filho com Síndrome de Down para adoção na Armênia

Reprodução / GoFundme BringLeoHome

O nascimento de um bebê é sempre um turbilhão de emoções e sentimentos. Para Samuel Forrest o nascimento do seu bebê envolveu também uma decisão difícil.

No dia 21 de janeiro, quando Leo nasceu, Forrest foi informado de que o bebê tinha Síndrome de Down.

À rede ABC ele contou que, passado os instantes de choque diante da notícia, ele olhou o filho – que nasceu em uma maternidade da Armênia, terra natal de sua (ex) mulher - pela primeira vez.

“Eu olhei para ele e disse, ele é bonito, ele é perfeito e eu vou ficar com ele com certeza”.

Sua mulher, no entanto, não quis ficar com o bebê e deu um ultimato ao marido: “ela me disse que se eu ficasse com ele, nós iríamos nos divorciar”. Segundo seu relato, ela não tocou nem quis olhar para Leo.

Forrest, que é natural de Auckland, na Nova Zelândia, disse que não saiba que não ficar com seu filho era se quer uma possibilidade na Armênia.

Uma semana após o nascimento de Leo, o casal se divorciou.

Para conseguir retornar para a Nova Zelândia e criar o bebê perto da sua família e se seus amigos, Forrest criou uma página chamada “Traga Leo para Casa” para arrecadar dinheiro. Parte dos fundos será usada para sustentar Forrest enquanto ele ficar sem trabalhar para cuidar do bebê.

Em dez dias, Forrest arrecadou quase US$ 190 mil - sua meta era conseguir US$ 60 mil - e afirma que vai doar parte do dinheiro para projetos sociais na Armênia que, de acordo com Forrest, irão incentivar os pais a ficarem com seus filhos em toda e qualquer circunstâncias.