NOTÍCIAS
05/02/2015 22:33 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:53 -02

Estudante carioca vende único computador para tirar sua startup do papel na Campus Party

Luiza Belloni

O estudante carioca Renan Henrique Costa, de 20 anos, deve ser um dos poucos (senão o único) visitantes da Campus Party 2015 que ficou sem seu notebook ou computador para passar os dias conectado, entre uma atividade e outra.

Com o objetivo de tirar seu projeto de startup do papel, ele não pensou duas vezes em vender seu dispositivo para financiar a viagem a São Paulo e garantir sua estadia no maior evento de tecnologia do mundo.

O estudante de Ciência da Computação e seu colega de faculdade (e sócio), Hudson Joubert, também de 20 anos, participa da Maratona de Negócios do Sebrae com o projeto all.c, aplicativo que conecta todas as mídias sociais. Com ele, um usuário do Twitter, por exemplo, pode mandar mensagens para alguém que está no Facebook, ou no Skype, e-mail e WhatsApp, sem que nenhum dos dois saia de suas plataformas.

“O objetivo é dar mais comodidade aos internautas. Então, se eu gosto mais de uma mídia, não precisarei sair dela para me comunicar com meus amigos que preferem usar outras plataformas”, conta Renan, acrescentando que a ideia surgiu da dificuldade de conseguir falar com seu pai. “Ele só usa e-mail e eu prefiro WhatsApp. Então, um dia, conversando na escadaria da faculdade com o Hudson, pensamos: ‘por que não criar algo que unifique todas essas plataformas?”

O primeiro desafio foi garantir a viabilidade do projeto. “Estamos no primeiro ano do curso, sabemos muito pouco para tirar a ideia do papel”, disse Renan. Foi aí que eles decidiram ir para a Campus.

Como os ingressos já estavam se esgotando, os meninos contam que compraram os tickets sem nem saber direito o que fariam lá. “Tivemos sorte de achar uma promoção de voo do Rio para São Paulo. Compramos e só depois caiu a ficha de que teríamos outras despesas, como metrô, alimentação e estadia”, disse Renan.

Sem grana, eles procuraram itens que poderiam vender para bancar a viagem. “Um amigo meu estava querendo um notebook e eu não tive dúvida, vendi o meu pra ele. O Hudson conseguiu vender o Skate que ele tinha”. Eles também não puderam ficar em barracas, como os campuseiros, e o jeito foi reservar um quarto em um hostel com mais 15 pessoas.

(Renan e seu sócio, Hudson, na Campus Party)

Terra das oportunidades

A ideia inicial era fazer um blog para relatar as atividades do evento, mas quando chegaram na Campus, eles se surpreenderam com as oportunidades de negócios. “Nos inscrevemos para a maratona, mas não pensamos que teríamos algum retorno.”

Após apresentarem a ideia para a equipe do Sebrae, eles foram abordados pelo presidente da Organização Confia, entidade que mescla atuação de banco de microcrédito e fomento do empreendedorismo social, Luiz Augusto de Souza Ferreira, o Guto.

“Queríamos desenvolver um aplicativo voltado para o social, isto é, gratuito. O Guto adorou nossa ideia e nos ajudou a fazer o projeto que foi entregue para a maratona. Ele também agendou uma reunião com um investidor-anjo”, conta Renan.

Agora, eles estão à procura de desenvolvedores que possam apoiá-los a seguir com o projeto que, segundo Hudson, tem muito potencial. “Fizemos uma pesquisa sobre o aplicativo e ele teve 100% de aceitação. A gente não quer ficar milionário, do nada. A gente quer mostrar que temos boas ideias”, disse Hudson. “Conhecer pessoas que acreditam na gente já valeu por todo nosso esforço, agora é tornar isso tudo real.”

O app all.c é um dos 125 projetos selecionados para a Maratona de Negócios do Sebrae. Os vencedores, que ganharão prêmios em dinheiro para financiar sua startup e consultorias, serão anunciados no próximo domingo (8), último dia da Campus.