NOTÍCIAS
03/02/2015 18:57 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Quando os cachorros rolam, podem estar simulando um combate

Quando cachorros rolam e ficam de barriga pra cima, o comportamento indica um sinal de submissão, certo? Bem, novas pesquisas sugerem que podemos estar errando na interpretação da linguagem corporal canina.

Um novo estudo da Universidade de Lethbridge, no Canadá, e da Universidade da África do Sul mostra que rolar pode ser mais uma manobra de combate que um ato de submissão.

Para o estudo, os pesquisadores observaram uma fêmea de tamanho médio enquanto ela brincava com 33 cachorros diferentes, um de cada vez. Eles também analisaram 20 vídeos do YouTube de cachorros brincando – examinando todas as vezes em que o cachorro rolava e ficava deitado de barriga para cima.

O que os pesquisadores descobriram? Nenhum dos movimentos observados no estudo eram consistentes com submissão. Em vez disso, eles pareciam ser usados como tática defensiva, para evitar mordidas no pescoço, ou ofensivos, para lançar um ataque.

“Ficamos muitos surpresos, pois em nenhuma das vezes em que o cão ficou na posição supino pudemos atribuir o movimento à submissão”, disse ao Huffington Post, por email, Sergio Pellis, professor de neurociência da Universidade de Lethbridge. “Isso sugere que outros estudos que usaram a postura supino como indicador de submissão podem ter exagerado o papel das relações de dominância na regulação do comportamento social de cães domésticos em geral e a relevância das relações de dominância durante as brincadeiras em particular.”

Em outras palavras, rolar nem sempre tem a ver com dominância e submissão. Afinal de contas, os pesquisadores explicaram que, se rolar fosse um gesto de dominância nas brincadeiras, os cães menores ou mais fracos é que tenderiam a fazer esse movimento – mas os pesquisadores observaram que a probabilidade maior era que o cão maior rolasse.

Os autores do estudo também indicam que, se o movimento de rolar estivesse sendo usado como um gesto de submissão, o cão ficaria naquela posição por mais tempo – mas as roladas costumavam durar pouco tempo.

Por que interpretamos esses movimentos da forma errada? Pellis aponta para pesquisas anteriores com lobos. Em alcateias, animais de status inferior tendem a rolar como maneira de demonstrar submissão, mas isso acontece geralmente em situações que não são de brincadeira.

“Apesar de os cachorros serem descendentes dos lobos, seu comportamento é ligeiramente diferente”, disse Pellis em seu email. “Para entender melhor o comportamento do cão, portanto, precisamos examinar com cuidado as aptidões deles dentro do contexto de seu ambiente atual, como parceiros dos humanos.”

O estudo foi publicado na edição de janeiro de 2015 da revista Behavioural Processes.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.