NOTÍCIAS
02/02/2015 20:47 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Consumo excessivo de sal pode ‘reprogramar' o cérebro

iStock

Há muitos motivos de saúde para evitar o sal, da retenção de líquidos a um risco mais elevado de hipertensão e problemas cardiovasculares ao longo da vida.

A ligação entre sódio e pressão alta não é nova (apesar de alguns cientistas afirmarem que ela pode ser exagerada), mas os mecanismos pelos quais o sódio pode aumentar a pressão arterial não são muito claros.

Segundo uma nova pesquisa da Universidade McGill, sódio em excesso pode “reprogramar” o cérebro, o que interferiria no processo que mantém a pressão arterial em níveis saudáveis.

“Descobrimos que ratos que consumiram muito sal durante um período apresentaram mudança bioquímica nos neurônios que liberam a vasopressina (VP) na circulação sistêmica”, disse um dos autores do estudo, Charles Bourque, em um comunicado à imprensa. “Essa mudança, que envolve uma molécula neurotrópica chamada BDNF [sigla em inglês para fator neurotrópico derivado do cérebro], impede a inibição desses neurônios pelas outras células.”

Os pesquisadores descobriram que um alto consumo de sal impede a inibição dos neurônios VP, o que normalmente ocorre quando um sistema do corpo detecta pressão nas artérias. Quando esse mecanismo de segurança é desligado, a pressão tende a aumentar com o aumento do consumo de sódio para níveis mais altos ao longo do tempo.

Entretanto, outros dados sugerem que não devemos nos preocupar demais com o sódio. Um estudo de larga escala publicado na revista Jama Internal Medicine descobriu que níveis mais altos de consumo de sódio não estão relacionados a riscos maiores de morte.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.