ENTRETENIMENTO
26/01/2015 16:36 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02

Reality show da Noruega envia fashionistas para trabalhar em fábrica têxtil no Camboja. E o resultado é chocante (VÍDEO)

“Eu não aguento mais!”

“Que tipo de vida é essa?”.

Estas frases foram ditas pela fashionista norueguesa Anniken Jørgensen, uma entre os três jovens que estrelam um reality show feito para a internet, dividido em cinco partes sobre a exploração do trabalho no Camboja por empresas têxtil.

O experimento, produzido pelo jornal Aftenposten, levou Jørgensen, Frida Ottesen e Ludvig Hambro, em 2014,para a capital do Camboja, Phnom Penh, onde trabalharam e vivenciaram intensamente o dia a dia dos trabalhadores da indústria têxtil no país. Com direção de Joakim Kleven, O resultado são episódios de cerca de dez minutos do reality show on-line, SweatShop – Deadly Cheap Fashion (assista ao trailer acima).

A imagem acima é a reprodução de um dos momentos mais emblemáticos do reality. Os três participantes estão na casa de Sokty, uma das operárias que mora em um pequeno apartamento no centro da cidade e ganha cerca de US$ 3 (R$ 7). Após a visita, eles saem para um passeio e visitam uma loja de roupas e constatam que, uma única blusa, produzida na indústria em que ela trabalha, vale cinco vezes mais do que toda a sua renda no mês, cerca de US$ 35 (R$ 90).

E é ai que tudo começa.

Nos episódios seguintes eles passam cerca de 12 horas em uma das fábricas costurando como um trabalhador comum, escutam histórias de pessoas que simplesmente morreram por não conseguir se sustentar, e frases comuns, reproduzidas por eles como: "acho que eles estão acostumados" e "há trabalhos piores" foram substituídas por um choro compulsivo, uma exaustão física e emocional.

"Assim que termina uma peça de roupa, você começa a costurar outra, sem descanso. É um círculo vicioso que não acaba nunca”, contou Jørgensen ao jornal espanhol El Diario.

"Tenho vergonha", disse Anniken ao portal de notícias G1 sobre suas primeiras reações. "Mas acho que é humano. [...] Teve um cinegrafista que sentou com a gente um dia e disse que parecia que a gente não se importava. Eu lembro que fiquei muito brava e falei alto com ele, como ele podia dizer algo assim? Mas em algum ponto durante essa conversa algo mudou. Foi estranho, mas de repente eu comecei a ver tudo diferente."

Segundo dados recentes da ONU, a escravidão moderna é considerada uma violação "atroz" dos direitos humanos e que, atualmente, ainda afeta 21 milhões de pessoas ao redor do mundo.

Você pode assistir a todos os episódios com legenda em inglês ou espanhol aqui.